Correio do Minho

Braga, quinta-feira

- +
ETAR do vale do Este em funcionamento pleno no segundo semestre de 2023
Barcelos reabilita edifício para criar Museu do Design

ETAR do vale do Este em funcionamento pleno no segundo semestre de 2023

Victor Hugo Salgado é recandidato à câmara, mas pelo Partido Socialista

ETAR do vale do Este em funcionamento pleno no segundo semestre de 2023

Braga

2021-04-06 às 06h00

Marlene Cerqueira Marlene Cerqueira

Localizada em Celeirós, a nova ETAR do vale do Este deve começar a ser construída ainda este ano, prevendo-se que durante o segundo semestre de 2023 esteja em pleno funcionamento, anunciou Ricardo Rio.

Com o concurso público na fase final, a empreitada de construção da ETAR do Vale do Este deve arrancar ainda durante 2021, prevendo-se que a nova estação de tratamento de águas residuais da cidade esteja em pleno funcionamento no segundo semestre de 2023.
A data foi avançada ontem pelo presidente da Câmara Municipal, Ricardo Rio, em reunião de câmara, quando questionado pelo vereador Artur Feio, do PS, sobre as queixas relativas aos maus odores libertados pela ETAR, situação que se tem vindo a agravar nas últimas semanas devido às condições meteorológicas e à intervenção de manutenção em curso naquela estação.
Artur Feio afirmou que toda a zona envolvente à ETAR de Frossos “vive sufocada pelos mais cheiros contínuos” e acusou o executivo de em oito anos não ter tido capacidade de resolver o problema. Sustentou ainda que a Agere tem meios próprios para assumir a construção de uma nova ETAR.
Em resposta, Ricardo Rio explicou mais uma vez que a situação da ETAR de Frossos só estará definitivamente resolvida com a construção de uma nova ETAR, que permitirá diluir a carga que actualmente é encaminhada para Frossos.
O edil recusou a ideia de que o processo de construção da nova ETAR tem sofrido atrasos. “Construir uma ETAR não é como construir uma estrada ou uma escola”, apontou, realçando que este “é um processo muito moroso e exigente do ponto de vista do acompanhamento, tendo que cumprir várias etapas que não podem ser encurtadas ou aligeiradas.
O residente partilhou então uma síntese daquela que tem sido a evolução do processo da nova ETAR, começando por realçar que quando a Coligação ‘Juntos por Braga’ chegou à Câmara e Rui Morais assumiu a gestão das Agere “não havia ainda nenhuma solução para a nova ETAR”, mas apenas “referências públicas de que seria construída” uma nova estação de tratamento de águas residuais. “Nem a localização estava ainda definida”, realçou.
Se o processo continuar a desenvolver-se dentro dos timings, o investimento de 26 milhões de euros, que tem a comparticipação de nove milhões de euros em fundos comunitários.
A nova ETAR vai permitir dividir a descarga de caudais entre as duas bacias hidrográficas (Cávado e Ave).
A expectativa da Agere aponta para que em 2021 a ETAR de Frossos trate um caudal de 19,4 mil milhões de metros cúbicos. Com a construção da nova ETAR, prevê-se que a partir de 2023, cada estação de tratamento de águas residuais trate um caudal anual de 9,7 mil milhões de metros cúbicos.

Deixa o teu comentário

Usamos cookies para melhorar a experiência de navegação no nosso website. Ao continuar está a aceitar a política de cookies.

Registe-se ou faça login

Com a sessão iniciada poderá fazer download do jornal e poderá escolher a frequência com que recebe a nossa newsletter.




A 1ª página é sua personalize-a

Escolha as categorias que farão parte da sua página inicial.

Continuará a ver as manchetes com maior destaque.

Bem-vindo ao Correio do Minho
Permita anúncios no nosso website

Parece que está a utilizar um bloqueador de anúncios.
Utilizamos a publicidade para ajudar a financiar o nosso website.

Permitir anúncios na Antena Minho