Correio do Minho

Braga, quarta-feira

Estudo inédito apresentado em Guimarães destaca empresas familiares como pilar da economia
Centro de Engenharia Biológica da UMinho vai dar a conhecer o mundo da ciência aos bracarenses

Estudo inédito apresentado em Guimarães destaca empresas familiares como pilar da economia

Todos à espera do Bolo-Rei de Frutos Secos da Pastelaria Maximinense

Vale do Ave

2018-09-20 às 15h32

Redacção

Pela primeira vez foram anunciados dados concretos sobre o mapeamento das empresas familiares no norte do país.

Foi revelado esta quarta-feira, em Guimarães, na Plataforma das Artes e da Criatividade, o estudo pioneiro sobre as empresas familiares existentes no Norte de Portugal, no decorrer da Conferência Internacional “Roadmap para Empresas Familiares: Mapeamento, Profissionalização e Inovação”, organizada pelo Centro Interdisciplinar de Ciências Sociais – Polo da Universidade do Minho (CICS – UM), a Associação Empresarial de Portugal (AEP) e a Câmara Municipal de Guimarães.
 
Na sessão de encerramento, foi comum a importância da “coesão territorial” proporcionada pelas empresas familiares. O Presidente da Câmara Municipal de Guimarães, Domingos Bragança, destacou as “políticas públicas” por forma a “capacitar os cidadãos a terem mais competências” no sentido de “desenvolverem as suas potencialidades com independência, no âmbito do que acontece com a maior parte das empresas familiares”. O Reitor da Universidade do Minho, Rui Vieira de Castro, congratulou o estudo apresentado por Ana Paula Marques e a sua equipa, comparando esta conferência aos eixos de missão da Universidade, no sentido de “produzir conhecimento, numa perspetiva de globalização, para ter impacto na sociedade”.
 
Esta sessão contou ainda com o Presidente da Associação Empresarial de Portugal (AEP), Paulo Nunes de Almeida e o Presidente da Câmara de Braga, Ricardo Rio. Este último vincou na sua intervenção que as “empresas familiares marcam os territórios pela afinidade histórica dos territórios onde estão implantadas”.
 
As conclusões deste estudo “revelam questões pertinentes” que deve dar continuidade a este trabalho inédito. A coordenadora, Ana Paula Marques, mostrou-se “muito satisfeita” pelo decurso dos trabalhos. Uma das conclusões vincadas é que “as empresas Familiares são um pilar da economia em termos de criação de riqueza e emprego”.
 
Segundo o estudo, mais de metade das Empresas Familiares localizam-se na sub-região Área Metropolitana do Porto, seguido das sub-regiões do Cávado, Ave, Tâmega e Sousa e Alto Minho A região do Ave, de acordo com dados recolhidos em 2017, conta com 4815 empresas familiares onde sobressai o peso de Guimarães com 40% no conjunto dos oito Municípios da região. Estes são alguns dados entre um conjunto que está explanado numa publicação do “Roadmap para Empresas Familiares Portuguesas”.
 
O evento que decorreu na Plataforma das Artes, em Guimarães, contou com conferencistas internacionais e nacionais resultando uma reflexão sobre os fatores críticos de inovação e profissionalização das empresas familiares. 

Deixa o teu comentário

Usamos cookies para melhorar a experiência de navegação no nosso website. Ao continuar está a aceitar a política de cookies.

Registe-se ou faça login

Com a sessão iniciada poderá fazer download do jornal e poderá escolher a frequência com que recebe a nossa newsletter.




A 1ª página é sua personalize-a

Escolha as categorias que farão parte da sua página inicial.

Continuará a ver as manchetes com maior destaque.