Correio do Minho

Braga, sábado

Estratégia envolve Famalicão Made IN no apoio a startups
Henedina Antunes em grupo europeu de doença celíaca

Estratégia envolve Famalicão Made IN no apoio a startups

IPCA dá apoio nas candidaturas ao ensino superior

Vale do Ave

2017-08-12 às 09h11

Redacção

REDE NACIONAL DE INCUBADORAS conta já com a adesão da Incubadora Famalicão Made IN. Acordo de cooperaçaõ e de desenvolvimento de actividades foi aprovado pelo executivo camarário.

Continua a crescer o número de novas ideias de negócio de âmbito nacional que estão a beneficiar do contributo conhecedor do Famalicão Made IN, através de acompanhamento técnico e de mentoria, para ganharem robustez e assim se projectarem.

Este é já um dos resultados visíveis da adesão da Incubadora Famalicão Made IN à Rede Nacional de Incubadoras (RNI), cujo acordo de cooperação e desenvolvimento de actividades foi aprovado pelo executivo camarário, depois de a acreditação ter ocorrido em novembro de 2016.
A RNI integra a estratégia nacional para o empreendedorismo, a StartUp Portugal, e visa identificar, mapear e interligar as incubadoras de empresas existentes no país, bem como promover a partilha de recursos físicos e a profissionalização dos serviços oferecidos a empreendedores e empresas incubadas.

Tiago Freitas (Porminho), Renato Cunha (Ferrugem), Ricardo Santos (YouOn) e Fernando Xavier Ferreira (Ação Condomínios) são os mentores famalicenses que emprestam o seu know- -how e a sua experiência aos empreendedores nacionais que ambicionam colocar em prática as suas ideias de negócio, e que passaram a integrar também a Rede Nacional de Mentores.

Esses projectos que estão a ser trabalhados pelo Famalicão Made IN abrangem áreas como a alimentar, os serviços e comércio e as novas tecnologias e beneficiam do StartUp Voucher, um dos instrumentos da StartUp Portugal para dinamizar o desenvolvimento de ideias de negócio através da atribuição de bolsa mensal, mentoria, assistência técnica e prémio de concretização.
A Incubadora Famalicão Made IN dispõe de dois polos. O primeiro, inaugurado em 2015, na Riopele; o segundo, criado no Edifício Globus, em Vilarinho das Cambas, em 2016.
Já se instalaram 24 startups, o que é revelador da utilidade e necessidade de infraestruturas deste tipo no concelho.

Deixa o teu comentário

Usamos cookies para melhorar a experiência de navegação no nosso website. Ao continuar está a aceitar a política de cookies.

Registe-se ou faça login

Com a sessão iniciada poderá fazer download do jornal e poderá escolher a frequência com que recebe a nossa newsletter.




A 1ª página é sua personalize-a

Escolha as categorias que farão parte da sua página inicial.

Continuará a ver as manchetes com maior destaque.