Correio do Minho

Braga, quarta-feira

- +
Estado investe três milhões de euros no Património a Norte
Paulo Jorge: “Pelo que tem feito, o SC Braga tem tudo para disputar a eliminatória”

Estado investe três milhões de euros no Património a Norte

Empresa Ren Portgás investe 2,4 milhões de euros em 30 quilómetros de rede

Estado investe três milhões de euros no Património a Norte

Nacional

Ontem às 13h06

Redacção Redacção

A estratégia delineada pela Direção Regional de Cultura do Norte visa a descentralização do investimento, alargando as suas ações a todo o território, num plano de trabalho em rede que contempla, igualmente, o apoio a candidaturas apresentadas por outras entidades e que mereceram, igualmente, aprovação.

A Direção Regional de Cultura do Norte acaba de ver aprovadas sete novas candidaturas apresentadas ao Aviso Património Cultural-Infraestrutural do Programa Operacional Norte 2020, num total de investimento superior a 3 Milhões de Euros.

Tendo como prioridade de investimento, a conservação, proteção, promoção e desenvolvimento do Património Natural e Cultural, as candidaturas agora aprovadas, com prazo de execução de dois anos, irão incidir nos seguintes monumentos: Paço dos Duques de Bragança (Guimarães), Museu dos Biscainhos (Braga), Museu da Terra de Miranda (Miranda do Douro), Mosteiro de Tibães (Braga), Mosteiro de São Bento da Vitória (Porto), Igreja Matriz de Torre de Moncorvo e Igreja Matriz de Vila do Conde.

A estratégia delineada pela Direção Regional de Cultura do Norte visa a descentralização do investimento, alargando as suas ações a todo o território, num plano de trabalho em rede que contempla, igualmente, o apoio a candidaturas apresentadas por outras entidades e que mereceram, igualmente, aprovação.

Visando a salvaguarda e proteção do património, mas também a sua dinamização, divulgação e consequente fruição por parte do público, as candidaturas apresentadas aos fundos comunitários revestem-se de um caráter transversal, dando continuidade ao trabalho que tem vindo a ser realizado ao longo dos últimos anos, num claro esforço de criação de sinergias alargadas a todo o território, com evidentes repercussões ao nível das economias locais.



Breve descrição das intervenções minhotas

Paço dos Duques de Bragança (Guimarães) – Investimento total: 281.763,31 €
Um dos pontos basilares da gestão dos equipamentos culturais assenta na sua manutenção e dinamização: não basta criar os equipamentos, é necessário cuidar do seu estado de funcionamento e, num plano mais específico, promover atividades que possam atrair público.
Assim, pretende-se com a presente candidatura intervir na requalificação e ampliação da receção, espaço de apoio ao visitante e sanitários tornando o espaço de acolhimento mais acessível, amigável e eficiente, de modo a bem servir os milhares de visitantes, nacionais e estrangeiros, que anualmente aqui se deslocam.

Museu dos Biscainhos (Braga) – Investimento total: 701.226,39 €
Na presente operação pretende-se travar o processo de degradação, através de intervenções de conservação e restauro adequadas e assentes em critérios de rigor histórico, científico e técnico.
A atual candidatura visa, além da intervenção física, a proteção, valorização e promoção de um património único, de elevado valor e caráter singular através de iniciativas de programação cultural que ocorrem no âmbito da rede de monumentos sob a gestão da Direção Regional de Cultura do Norte.

Mosteiro de Tibães (Braga) – Investimento total: 330.688,12 €
O Mosteiro de Tibães, em Braga, é um dos maiores e mais importantes conjuntos monásticos beneditinos portugueses e constitui a peça chave na rede monástica da Ordem de S. Bento do Noroeste Peninsular.
Atualmente a Igreja apresenta problemas graves de conservação sendo imperioso proceder a uma intervenção que atualize a obra de recuperação e restauro da Igreja, executada em 1999. A atual candidatura visa, além da intervenção física na estrutura construtiva da Igreja, a proteção do espólio artístico existente no seu interior, património único de valor incomensurável, já intervencionado e atualmente em risco de perda, por condições ambientais inadequadas à sua preservação. Pretende-se com esta candidatura dar continuidade às intervenções de consolidação da Igreja do Mosteiro de Tibães e melhorar a abertura a um novo tipo de público, criando novos espaços nas Torres Sineiras, como pólos diferenciados de atração.





Deixa o teu comentário

Usamos cookies para melhorar a experiência de navegação no nosso website. Ao continuar está a aceitar a política de cookies.

Registe-se ou faça login

Com a sessão iniciada poderá fazer download do jornal e poderá escolher a frequência com que recebe a nossa newsletter.




A 1ª página é sua personalize-a

Escolha as categorias que farão parte da sua página inicial.

Continuará a ver as manchetes com maior destaque.

Bem-vindo ao Correio do Minho
Permita anúncios no nosso website

Parece que está a utilizar um bloqueador de anúncios.
Utilizamos a publicidade para ajudar a financiar o nosso website.

Permitir anúncios na Antena Minho