Correio do Minho

Braga, terça-feira

Esposende: sexagenária morreu atropelada
Aposta na ferrovia “é fundamental” para internacionalização da economia

Esposende: sexagenária morreu atropelada

Proposta de alimentação alternativa à base de farinha de insecto vence concurso JUMP

Casos do Dia

2011-06-18 às 06h00

Luís Fernandes

Uma mulher de 60 anos foi ontem atropelada no Fujacal, em Braga, tendo ficado ligeira ferida. A mesma sorte não teve uma outra mulher, de 62 anos, que não resistiu aos ferimentos depois de ter sido também atropelada em Palmeira de Faro, Esposende.

O alerta sobre o primeiro caso de atroplemento registou-se às 10,42 na Rua do Fujacal, perto da capelinha que se encontra à esquerda para quem vier da Avenida Imaculada Conceição e descer as escadas que dão acesso ao bairro residencial.
A sexagenária, cuja identidade não foi revelada, foi apanhada por um veículo ligeiro numa altura em que estaria a atravessar a rua fora da passadeira.
Ao local do acidente acorreram os Bombeiros Voluntários de Braga com dois homens apoiados por uma ambulância, tendo a sinistrada sido transportada para o Hospital de Braga.
A PSP tomou conta da ocorrência.
O acidente em Esposende registou-se às 11,20 horas na EN 103-1, em Palmeira de Faro. Uma senhora de 62 anos foi atropelada por um veículo ligeiro de passageiros, um Renault Clio conduzido por um indivíduo do sexo masculino, quando ela atravessava uma rua local.
Para assistência à vítima compareceram no local do acidente os Bombeiros Voluntários de Esposende, uma ambulância do INEM, uma VMER de Viana do Castelo e a GNR que tomou conta da ocorrência.
A vítima não resistiu aos ferimentos, pelo que o seu óbito foi declarado no próprio local do acidente.
O cadáver da idosa foi evacuado para a morgue do Instituto de Medicina Legal de Viana do Castelo, onde deverá ser autopsiado. Tal como caso anterior, também neste caso a idosa foi atropelada quando atravessava a rua fora da passadeira.
Os casos de atropelamento têm vindo a aumentar no país e em alguns casos resultam do facto de os condutores se esquecerem que, independentemente da sinalização e mesmo que não exista passadeira, têm de dar prioridade aos peões que se disponham ou estejam a iniciar a travessia.
Daí que se diga que uma das principais causas dos atropelamentos é a falta de cumprimento de regras como essa.

Deixa o teu comentário

Usamos cookies para melhorar a experiência de navegação no nosso website. Ao continuar está a aceitar a política de cookies.

Registe-se ou faça login

Com a sessão iniciada poderá fazer download do jornal e poderá escolher a frequência com que recebe a nossa newsletter.




A 1ª página é sua personalize-a

Escolha as categorias que farão parte da sua página inicial.

Continuará a ver as manchetes com maior destaque.