Correio do Minho

Braga, quarta-feira

- +
Esposende quer reduzir factura eléctrica
Mart'Nália trouxe o samba a Ponte da Barca

Esposende quer reduzir factura eléctrica

Presidente da Câmara Municipal recebeu ‘Diploma de Finalista Nomeado’

Esposende quer reduzir factura eléctrica

Cávado

2021-10-16 às 14h44

Redacção Redacção

Iluminação pública vai ser alterada no concelho. Autarquia vai lançar concurso para estabelecer Contrato de Gestão de Eficiência Energética, tendo em vista a implementação de medidas nos equipamentos de iluminação do município.

O Município de Esposende vai lançar um concurso público para estabelecer um Contrato de Gestão de Eficiência Energética, com vista à implementação de medidas de eficiência energética nos equipamentos de iluminação pública do concelho.
A medida, aprovada, por unanimidade, em reunião de câmara, tem como propósitos a melhoria do sistema de iluminação pública em termos de qualidade, a redução dos impactos ambientais associados ao consumo energético e a redução da factura da iluminação pública, que actualmente ronda os 700 mil euros anuais, refere o presidente da Câmara Municipal, Benjamim Pereira, clarificando que a poupança advirá da instalação de um parque de equipamentos mais eficiente.

Numa operação que permitirá a substituição das luminárias por sistemas mais eficientes e pela implementação de um sistema de gestão inteligente, num contexto associado ao projecto Esposende Smart City, perspectiva-se um potencial de melhoria de eficiência energética, representando poupanças significativas face ao consumo anual actual, ao qual se associam vantagens ao nível financeiro, sublinha Benjamim Pereira, adiantando que o valor mínimo previsto de poupança directa para o município rondará os 42.000 anuais.

Este processo é realizado ao abrigo do Decreto-Lei n.º 29/2011, de 28 de Fevereiro, que institui um regime de contratação público próprio para a formação dos contratos de desempenho energético que revistam a natureza de contrato de gestão de eficiência energética, a celebrar entre o sector público, na qualidade de entidades adjudicantes, e empresas de serviços energéticos (ESE), através do qual se prevê a existência de uma “poupança energética” que corresponde à poupança económica, poupança esta que irá reverter, em parte, para a autarquia e, em parte, para a ESE, a título de remuneração.

“Ciente do impacto das alterações climáticas, o Município de Esposende, coerentemente com aquelas que têm sido as políticas locais em matéria de preservação ambiental, não ficou alheio à necessidade de implementação de todas as possíveis medidas de boa gestão da componente energética, empenhando-se em prestar o seu contributo para a minimização de emissões de CO2, contribuindo para as metas nacionais e para o cumprimento dos Objectivos de Desenvolvimento Sustentável da Agenda 2030 das Nações Unidas”, vinca Benjamim Pereira.

Deixa o teu comentário

Usamos cookies para melhorar a experiência de navegação no nosso website. Ao continuar está a aceitar a política de cookies.

Registe-se ou faça login

Com a sessão iniciada poderá fazer download do jornal e poderá escolher a frequência com que recebe a nossa newsletter.




A 1ª página é sua personalize-a

Escolha as categorias que farão parte da sua página inicial.

Continuará a ver as manchetes com maior destaque.

Bem-vindo ao Correio do Minho
Permita anúncios no nosso website

Parece que está a utilizar um bloqueador de anúncios.
Utilizamos a publicidade para ajudar a financiar o nosso website.

Permitir anúncios na Antena Minho