Correio do Minho

Braga, quarta-feira

- +
Esposende: Loja solidária para apoiar as famílias carenciadas
Cabeceiras faz requalificação urbanística na entrada da vila

Esposende: Loja solidária para apoiar as famílias carenciadas

Alunos do pré-escolar e 1.º ciclo assistem a concerto didáctico

Esposende: Loja solidária para apoiar as famílias carenciadas

Cávado

2011-12-12 às 06h00

Rui Serapicos Rui Serapicos

Um pavilhão na zona industrial de Esposende, junto à estrada nacional que liga a Barcelos, acolhe uma loja solidária para ajudar famílias com carências sociais referenciadas.

O presidente da Câmara Municipal de Esposende, João Cepa, inaugurou ontem a ‘Loja Social Rede Solidária’ e homologou protocolos com juntas de freguesia, instituições de solidariedade e estabelecimentos de ensino do concelho.

Na maior parte dos casos, os acordos homologados contemplam serviços de ponto de recolha, separação e armazenamento de bens alimentares e vestuário.
Ficam ainda previstos serviços como arranjo de roupas ou de mobiliário. Nestes casos alguns dos serviços prestados às famílias carenciadas podem aproveitar o trabalho de idosos em centros de dia.

Presidente da câmara admite desemprego nos 20 por cento

O autarca, na sua intervenção, invocou os seus treze anos de experiência autárquica para afirmar que “este concelho é muito rico” em acções de solidariedade, vincando a disponibilidade dos parceiros que “torna tudo mais fácil”.
João Cepa aludiu à ocorrência de assaltos a centros sociais, distinguindo este crime do mais frequente assalto a máquinas multibanco.

Dirigindo-se directamente a Rui Barreira — o novo director do Centro Distrital de Braga de Segurança Social —, João Cepa alertou para as situações de desemprego, cuja taxa, em exercício de prospectiva para o próximo ano, apontou para os 20% , acrescentando ainda factores como o aumento do custo de vida e de carga fiscal como potenciadores das situações de pobreza.
“O próximo ano vai ser mais difícil”, afirmou o autarca esposendense, apelando ao voluntariado, “porque não fazia sentido um espaço destes implicar custos elevados com pessoal”.

Preconizou que se evite o desperdício e atenção às situações de pobreza envergonhada e à necessidade de integração social, com responsabilidade, das famílias que venham a ser ajudadas.
João Cepa terminou a pedir ao director do Centro Distrital de Segurança Social que interceda junto do governo para que evite reduzir os apoios às instituições de solidariedade social.

Antes, a vereadora da Acção Social, Raquel Vale, expôs os pontos essenciais para a operacionalização da Loja de Solidariedade ontem inaugurada: o espaço, devendo considerar-se também a abertura a outros espaços nas freguesias.

A autarca identificou os beneficiários, considerando os residentes em Esposende identificados pelos serviços competentes como em situação de carência socioeconómica. A vereadora aludiu aos protocolos celebrados e a uma plataforma de informação que permite gerir em tempo real o que existe em cada espaço e vincou também o propósito de auto-sustentabilidade desta estrutura.

Segurança Social: mais parceira que fiscal

Rui Barreira, teve na primeira alocução pública como director do Centro Distrital de Segurança Social de Braga, um discurso breve. Focou a importância das IPSS e prometeu que o organismo que dirige se posicionará no cenário da solidariedade social mais com parceiro do que como fiscalizador. A loja ontem inaugurada situa-se no Parque Empresarial de Esposende, junto à Estrada Nacional 103-1 que liga a Barcelos pela margem Norte do Cávado.

Deixa o teu comentário

Usamos cookies para melhorar a experiência de navegação no nosso website. Ao continuar está a aceitar a política de cookies.

Registe-se ou faça login

Com a sessão iniciada poderá fazer download do jornal e poderá escolher a frequência com que recebe a nossa newsletter.




A 1ª página é sua personalize-a

Escolha as categorias que farão parte da sua página inicial.

Continuará a ver as manchetes com maior destaque.