Correio do Minho

Braga, segunda-feira

Esposende: Casa das Marinhas com horário alargado no verão
Bracarenses evocam poeta João Penha

Esposende: Casa das Marinhas com horário alargado no verão

Um dia da família na Quinta Pedagógica

Cávado

2018-07-11 às 17h15

Redacção

Assim, a casa das Marinhas estará aberta todos os dias, entre as 9h30 e as 13h00 e das 14h00 às 17h30, de segunda a sexta-feira, e aos sábados e domingos abrirá entre as 10h00 e as 13h00 e das 14h00 às 18h00.

A Casa das Marinhas vai alargar o seu horário de funcionamento, durante os meses de verão, de forma a proporcionar o aprofundamento do conhecimento sobre esta obra do Património Modernista. A medida confere aplicabilidade ao plano de dinamização pedagógica do património Cultural, preconizado pelo Município de Esposende e pretende, ainda, proporcionar o conhecimento do arquiteto Viana de Lima, autor desta casa icónica.

Assim, a casa das Marinhas estará aberta todos os dias, entre as 9h30 e as 13h00 e das 14h00 às 17h30, de segunda a sexta-feira, e aos sábados e domingos abrirá entre as 10h00 e as 13h00 e das 14h00 às 18h00.

O poema de Ruy Belo, “Oh as casas as casas as casas”, em que o autor refere que “Só as casas explicam que exista uma palavra como intimidade” adequa-se à Casa das Marinhas e ao programa que foi delineado para este verão. A Casa das Marinhas contém as sensações traduzidas pelo poeta, mas pode ainda ser associada ao conceito de heterotopia, do filósofo Michel Foucault: a casa pode ser considerada como um lugar que possui múltiplos sedimentos de significação ou de ligações com outros lugares e não pode ser compreendida imediatamente.

Seguindo este pressuposto, sugerimos uma visita à casa das Marinhas, uma vez que acumula níveis de informações/conhecimentos que, após uma visita atenta, é possível observar.

A história de vida do Arquiteto Viana de Lima, a história da arquitetura ou a história da casa das Marinhas fundem-se no objeto de arquitetura. Viana de Lima nasceu em Esposende (1913/1991), produziu alguns dos ícones da história da arquitetura portuguesa e é considerado como um dos principais responsáveis pela implementação do Movimento Moderno da arquitetura em Portugal.

A Casa das Marinhas é monumento de interesse público, de acordo com a Portaria n.º 740-FA/2012. A classificação da Casa das Marinhas reflete o génio do respetivo criador; o valor estético e técnico do bem; a conceção arquitetónica e paisagística. A Casa das Marinhas foi construída em 1954, projeto da autoria do arquiteto que desenhou a moradia como habitação de descanso familiar, manifestando alusões à arquitetura do Movimento Moderno e espelhando a vivência do produtor.

Atualmente a casa das Marinhas pertence ao Município de Esposende, decorrente de um protocolo com a Universidade do Porto, em que o Município se compromete a atribuir anualmente dois prémios: ao melhor aluno de Arquitetura e ao melhor aluno de Pintura, em homenagem aos filhos do Arquiteto Viana de Lima, Alexandre e Sílvia Viana de Lima.

Informações sobre as atividades e a Casa das Marinhas poderão ser obtidas através do e-mail casa.marinhas@cm-esposende.pt ou do telefone 253 960 179. Informações sobre a exposição poderão ser obtidas através do contacto com o Museu Municipal de Esposende.

Deixa o teu comentário

Usamos cookies para melhorar a experiência de navegação no nosso website. Ao continuar está a aceitar a política de cookies.

Registe-se ou faça login

Com a sessão iniciada poderá fazer download do jornal e poderá escolher a frequência com que recebe a nossa newsletter.




A 1ª página é sua personalize-a

Escolha as categorias que farão parte da sua página inicial.

Continuará a ver as manchetes com maior destaque.