Correio do Minho

Braga, terça-feira

Esporões e Tebosa com Unidades de Saúde Familiar em Setembro
Viana do Castelo incentiva utilização dos transportes públicos

Esporões e Tebosa com Unidades de Saúde Familiar em Setembro

Amares atribui 25 bolsas a alunos do ensino superior

Braga

2019-02-08 às 06h00

Paula Maia

UNIDADES de Cuidados de Saúde Profissionalizados que funcionam nestas freguesias serão convertidos em Unidades de Saúde Familiares, com reforço do seu quadro médico,

As freguesias de Esporões e Tebosa vão ser equipadas com Unidades de Saúde Familiares (USF) que deverão entrar em funcionamento já no próximo mês de Setembro. A notícia foi avançada, ontem, pelo director do ACES de Braga, Domingos Sousa, durante a sessão de apresentação do diagnóstico de situação de saúde do concelho.
Domingos Sousa explica que a actual Unidade de Cuidados de Saúde Profissionalizados que funcionam nas freguesias de Esporões e Tebosa serão transformadas em USF, com reforço do seu quadro médico.
No caso de Esporões, que actualmente tem colocados dois médicos, será reforçado com mais um e, a nova unidade de Tebosa, contará com mais dois médicos.
Domingos Sousa adiantou também que este ano será reforçado o quadro médico de algumas USF do concelho, apontando como exemplos a USF de Tadim e a USF Saúde Oeste (que abrange as freguesias de Sequeira e Cabreiros).
A criação de novas unidades e e o reforço dos quadros médicos tem como objectivo fazer chegar cuidados de saúde primários a toda a população do concelho. “Criámos modelos organizativos mais autónomas, com mais capacidade de resposta aos problemas da população, colocando todos os cidadãos no mesmo patamar no que diz respeito aos cuidados de saúde médicos” referiu o presidente do ACES de Braga.
Será com esta nova organização e reforço médico que o ACES procurará responder aos principais problemas de saúde da população local, explanados no diagnóstico de saúde pública que esta entidade apresentou ontem e que servirá de base à criação do Plano Municipal de Saúde que o ACES está a delinear em parceria com a Câmara Municipal de Braga.
E se alguns indicadores colocam Braga no topo nacional (comoa natalidade e esperança média de vida) outros indicadores espelham também a realidade local, especialmente no que diz respeito à morbilidade e à mortalidade.
Se o excesso de peso, o obesidade, os diabetes e as perturbações depressivas são as principais doenças crónicas que afectam a população, os tumores malignos constituem a principal causa de morte no concelho.
Domingos Sousa explica que este diagnóstico é extremamente importante porque permite delinear estratégias para trabalhar com a população local, sobretudo na área da prevenção. “Temos vários projectos transversais. Este ano começamos o rastreio do cólon e do recto. Temos também o rastreio do diabetes e, mais recentemente, da saúde oral. Ou seja, temos vários programas com os quais procuramos envolver a população numa acção preventiva de várias patologias”, adianta o responsável do ACES.

Deixa o teu comentário

Usamos cookies para melhorar a experiência de navegação no nosso website. Ao continuar está a aceitar a política de cookies.

Registe-se ou faça login

Com a sessão iniciada poderá fazer download do jornal e poderá escolher a frequência com que recebe a nossa newsletter.




A 1ª página é sua personalize-a

Escolha as categorias que farão parte da sua página inicial.

Continuará a ver as manchetes com maior destaque.