Correio do Minho

Braga, sábado

Espírito Synergia espalha-se na região Norte e contagia lá fora
Bicampeão do Mundo de Bajas é de Cabeceiras

Espírito Synergia espalha-se na região Norte e contagia lá fora

Feira de Artesanato e Gastronomia de Celorico recebeu milhares de visitantes

Braga

2018-02-13 às 06h00

Marta Amaral Caldeira

O projecto desenvolvido pela Associação Juvenil Synergia está a dar que falar fora de portas. São já várias as solicitações para a replicação do conceito noutras cidades e também noutros países.

O espírito Synergia está a ser disseminado na região Norte, mas também a nível internacional. Neste momento há vários municípios e cidades estrangeiras que querem replicar o trabalho que a associação juvenil bracarense faz ao nível da capacita- ção dos jovens. Ricardo Sousa, presidente da Synergia diz ser um bom sinal da intervenção que os jovens podem ter na sociedade e particularmente junto das suas comunidades. O ano de 2018 vai ser o ano zero do projecto de disseminação da Synergia.

A Associação Synergia acaba de ter a aprovação de Bruxelas para para disseminar o conceito de trabalho em rede Synergia pela Europa e pelo mundo. Durante os próximos dois anos a associação vai abrir academias de juventude, precisamente com a sua metodologia, em vários países envolvidos neste projecto, entre os quais figuram a Grécia, Itália, Espanha, Índia e Indonésia.
Um projecto internacional que eleva para outro patamar o trabalho desenvolvido pela associação bracarense. O principal objectivo é ultrapassar estes continentes e estas barreiras culturais e vermos a nossa metodologia reconhecida em termos internacionais, assinalou o presidente da Synergia. Estamos muito satisfeitos e orgulhosos.

De facto, a nossa metodologia de trabalho em rede - que não é nova, mas que nós soubemos aplicar na prática, com um maior envolvimento de outras associações, de empresas e das forças vivas da comunidade para que trabalhem connosco em prol do desenvolvimento comunitário, está a ser valorizado noutras cidades, noutros municípios e também no estrangeiro e são já muitas as solicitações para que os ajudemos a replicar este conceito, apontou Ricardo Sousa.
A Synergia tem trabalhado também muito com a comunidade turca, nomeadamente em projectos de voluntariado europeu. O objectivo é dar-lhes uma visão do que é a democracia na Europa para tentarem viver em liberdade também. Já lidámos com grupos de maior abertura a este espírito democrático e outros, mais religiosos, e mais fechados - o que implica que também tenhamos nós, e eles, que enfrentar choques culturais, mas o mais importante são os ganhos em termos de aprendizagem para os dois lados.

Projecto de intervenção já replicado na Madeira e em Bragança

O trabalho com outras culturas é também uma aposta da Associação Synergia, que, em Braga, por exemplo, dinamiza um projecto com a Junta de Freguesia de Maximinos para melhor atender à comunidade brasileira.
Temos que ser capazes de receber bem e acolher estes imigrantes que precisam de ajuda e é bom que não esqueçamos que nós, portugueses, já passámos e continuamos a passar pela mesma situação, quando emigramos para outros países também, sublinhou Ricardo Sousa.
Já estamos a trabalhar no Porto com os voluntários do Bairro da Sé, num bairro problemático, num projecto educativo que sensibiliza os jovens para as artes.
Na Madeira, a associação está neste momento a implementar os seus próprios departamentos localmente. O objectivo é dar ferramentas aos jovens madeirenses para se lançarem também eles, por sua conta e risco, no mundo do mercado e do empreendedorismo social.

Em Paços de Ferreira, numa escola cedida, a Synergia leva a cabo um importante trabalho de dinamização de actividades direccionadas para a juventude, com campos de férias e ocupação dos seus tempos livres.
Ricardo Sousa diz que muito brevemente surgirá a Synergia Bragança, com um projecto de trabalho de inclusão social dirigido a pessoas com incapacidades físicas, com actividades ocupacionais de artes e desporto para lhes dar alguma dignidade e felicidade.
O projecto bragantino vai trabalhar também de forma especial a questão dos imigrantes, capacitando por exemplo os imigrantes africanos a criar o seu próprio negócio com o seu artesanato.
Muito brevemente será apresentado o novo Centro de Formação de Felgueiras, também assinado pela associação bracarense. Trata-se de um espaço de alojamento que vai receber grupos de voluntários que vêm de toda a Europa.

Cidade Europeia do Desporto será um novo impulso ao associativismo

Hoje, o associativismo juvenil em Braga está muito forte, garantiu Ricardo Sousa, presidente da Associação Juvenil Synergia, que desde há 13 anos tem vindo a desenvolver vários projectos de apoio e desenvolvimento da sua comunidade. Considerando que a Capital da Juventude 2012 foi o ponto de partida para um novo paradigma juvenil em Braga, o líder juvenil não tem dúvidas que a Cidade Europeia do Desporto que se vive em 2018 será um novo impulso para o associativismo juvenil.
Para Ricardo Sousa, o fenómeno desportivo da cidade de Braga, que já é fortíssimo na actualidade, pode ficar para o futuro uma nova metodologia de trabalho excepcional por via da Cidade Europeia do Desporto.

Destacando o aparecimento de muitas outras associações, tanto em Braga, como no país, Ricardo Sousa considera que, hoje me dia, os jovens sentem-se mais capazes de fazer coisas em prol das suas comunidades.
Temos associações com trabalho de excelência, como é o caso da Associação Cidade Curiosa, também uma entidade bracarense, que considera exemplar, acima de tudo porque trabalha com um objectivo educativo, altera comunidades e altera a vida das sociedades, assinalou, sublinhando que a associação tem vindo a destacar-se pelas novas formas de aprendizagens lúdicas e culturais que vem impulsionando.
O presidente da Associação Synergia considera que o associativismo nacional é, hoje, muito forte.
Conheço muitas associações que estão a criar muitos postos de trabalho e que conseguiram investir em equipamentos sociais fantásticos para as suas comunidades, frisou.

Segundo o dirigente associativo, as associações juvenis atravessam actualmente um problema geracional de transição, advertindo para o caso de que os jovens não se conseguem emancipar antes dos 35 anos.
O presidente da Synergia entende que o associativismo juvenil está hoje muito à frente, apontando que há vários tipos de associações. Não se pode comprar o trabalho que faz uma associação de estudantes com o associativismo juvenil que trabal- ha diariamente no terreno - pelo que não se pode tratar o associativismo de forma igual, pois ele é muito variado, assinalou.

O que não se esperava é que o associativismo juvenil se desenvolvesse tanto e desse tanta resposta comunitária, e a verdade é que como crescemos e temos algumas responsabilidades no desenvolvimento comunitário provavelmente começámos a dar algumas dores de cabeça, disse, criticando o facto de o governo pretender levar avante uma lei que vai limitar a idade dos dirigentes associativos.
Eu gostava de deixar a direcção da Synergia depois de concretizado o projecto do Centro de Artes e Desporto Inclusivo, mas indica, no entanto, que não é fácil pedir a um jovem abaixo dos 30 anos que ainda estuda e mora com os pais que gira um orçamento destes, advertiu o dirigente juvenil.

Deixa o teu comentário

Usamos cookies para melhorar a experiência de navegação no nosso website. Ao continuar está a aceitar a política de cookies.

Registe-se ou faça login

Com a sessão iniciada poderá fazer download do jornal e poderá escolher a frequência com que recebe a nossa newsletter.




A 1ª página é sua personalize-a

Escolha as categorias que farão parte da sua página inicial.

Continuará a ver as manchetes com maior destaque.