Correio do Minho

Braga, quinta-feira

- +
Espanha: Lei do tabaco espanhola é um 'mau exemplo' para o mundo - Organização Mundial de Saúde
“Filhos do Neiva, Encontros Fotográficos das Neves”: Agnès Varda em exposição no Fórum Cultural das Neves

Espanha: Lei do tabaco espanhola é um 'mau exemplo' para o mundo - Organização Mundial de Saúde

Viana do Castelo: Câmara oferece duas bicicletas para patrulha urbana da PSP

2010-09-22 às 08h27

Lusa Lusa

A Organização Mundial de Saúde (OMS) pediu ontem a Espanha que endureça a lei contra o tabaco porque dá um mau exemplo a outros países que optaram por uma regulamentação mais flexível, alegando a existência do “modelo espanhol”.

Citação

A Organização Mundial de Saúde (OMS) pediu ontem a Espanha que endureça a lei contra o tabaco porque dá um mau exemplo a outros países que optaram por uma regulamentação mais flexível, alegando a existência do “modelo espanhol”.

“Tem que desaparecer com urgência o modelo que nos causou danos”, disse o coordenador do projeto “Tobacco Free Iniative” da OMS, Armando Peruga, em conferência de imprensa realizada hoje em Barcelona durante o Congresso da European Respiratory Society.

A legislação vigente em Espanha, designada “lei mista”, permite fumar em locais de restauração e diversão noturna com menos de 100 metros quadrados, se os proprietários assim o desejarem.

Segundo o coordenador do programa de tabaco da OMS, a lei converteu-se numa ferramenta utilizada pelas indústrias tabaqueiras que “vendem internacionalmente o caso espanhol como modelo a seguir”.

Armando Peruga criticou o efeito prejudicial da flexibilidade desta lei que influenciou países como a Croácia, Uruguai, Peru e Turquia, que estavam perto de adotar um modelo 100% livre de fumo, e acabaram favoráveis a um “modelo misto” como o espanhol.

O representante da OMS insistiu na “urgência” de Espanha aprovar uma norma 100% livre de fumo nos espaços públicos, visto que, na sua opinião “não há razões para adiar a normativa”.

Referiu também que as autoridades espanholas têm que “sobreviver à pressão das indústrias tabaqueiras”.

Peruga sublinhou os motivos de saúde para mudar o modelo espanhol, que em breve será debatido em Congresso de Deputados, para ser efetivo em 2011.

“Em Espanha morrem cada ano 3000 fumadores passivos por exposição ambiental ao fumo de tabaco e 600 000 em todo o mundo”, referiu.

O único modelo “efetivo” que o representante da OMS defendeu é o que não contempla exceções de nenhum tipo.

“Nem clubes de fumadores, nem sistemas de ventilação, nem espaços reduzidos”, concluiu.


*** Este texto foi escrito ao abrigo do novo Acordo Ortográfico ***

Deixa o teu comentário

Usamos cookies para melhorar a experiência de navegação no nosso website. Ao continuar está a aceitar a política de cookies.

Registe-se ou faça login Seta perfil

Com a sessão iniciada poderá fazer download do jornal e poderá escolher a frequência com que recebe a nossa newsletter.




A 1ª página é sua personalize-a Seta menu

Escolha as categorias que farão parte da sua página inicial.

Continuará a ver as manchetes com maior destaque.

Bem-vindo ao Correio do Minho
Permita anúncios no nosso website

Parece que está a utilizar um bloqueador de anúncios.
Utilizamos a publicidade para ajudar a financiar o nosso website.

Permitir anúncios na Antena Minho