Correio do Minho

Braga, segunda-feira

- +
Escuteiros sempre alerta para servir
Albergue de São Miguel reabre de ‘cara lavada’

Escuteiros sempre alerta para servir

Ecovia do Litoral Norte já tem recolha diferenciada de resíduos

Escuteiros sempre alerta para servir

Braga

2020-06-01 às 10h00

Patrícia Sousa Patrícia Sousa

Lema do escutismo ‘Sempre Alerta para servir’ nunca esteve tão presente na vida das comunidades. Núcleos de Guimarães e de Famalicão são disso exemplo. Escuteiros desdobram-se em acções de solidariedade e de apoio à paróquia e junta de freguesia.

“Se tiveres o hábito de fazeres as coisas com alegria, raramente encontrarás situações difíceis”.
Baden-Powell

De mangas arregaçadas e sempre alerta para servir, os escuteiros continuam a cumprir a missão de Baden-Powell. Hoje, mais do que nunca. Com o espírito de serviço sempre presente, os escuteiros da região, que celebraram 97 anos do movimento no passado dia 27 de Maio, estão a levar alimentos, mas sobretudo, amor a quem mais precisa nesta altura difícil para muitas famílias. Os exemplos são muitos e perde-se o número aos escuteiros envolvidos em acções sociais e de solidariedade.
Em Guimarães, a Junta de Núcleo e os agrupamentos que a integram, dos concelhos de Guimarães e de Vizela, envolveram-se em mil e uma acções.
A celebrar os 96 anos, o núcleo criou um jogo e uma dinâmica de partilha de fotografias de um momento que marcou a vida escutista. “No dia da festa foi celebrada uma eucaristia, em directo no facebook, na Igreja da Colegiada de Nossa Senhora da Oliveira, onde foi possível fazer a ligação directa com quatro jovens, que rezaram um ministério do terço cada um”, contou o chefe de Núcleo, Ernesto Machado. Além disso, na página do facebook foram publicadas mensagens do arcebispo primaz, D. Jorge Ortiga, dos presidentes das câmaras de Guimarães e de Vizela, Domingos Bragança e Victor Hugo Salgado respectivamente, e do chege regional de Braga, Hugo Cunha.
Desde a primeira hora, que o Núcleo de Guimarães se juntou ao projecto na área social da Câmara Municipal de Guimarães para ajudar as pessoas sem abrigo, criando o centro de acolhimento temporário.
Entretanto, o Núcleo de Guimarães está a colaborar com a Re-food de Guimarães. “Entraram em contacto connosco, porque como os restaurantes fecharam, já não tinham comida para levar às pessoas e pediram-nos ajuda”, contou o chefe de Núcleo, referindo que se fez uma mobilização junto de todos os agrupamentos. “A campanha está a decorrer nas várias paróquias e está a correr tão bem que a responsável do Re-food já se mostrou muito sensibilizada com a nossa envolvência e rapidez”, assegurou o dirigente.
Além disso, o núcleo está envolvido também com a Cruz Vermelha e a autarquia e alguns escuteiros têm dado apoio em alguns lares, colaborando quando os profissionais estão de folga.
Nesta fase, “praticamente todos os agrupamentos são também o braço direito das juntas de freguesia na distribuição de bens alimentares, máscaras, panfletos informativos”, informou.
Muitos agrupamentos disponibilizaram, adiantou o chefe de núcleo, parte do seu orçamento e ofereceram máscaras aos centros de saúde da terra e até cederam material informático. Neste período, a Junta de Núcleo de Guimarães também lançou o projecto ‘Ajuda em Casa’, onde o secretário executivo da junta de núcleo, como a secretaria e o Centro Escutista da Penha estão fechados, tem estado a dar apoio aos escuteiros, e não só, em questões informáticas.
“Agora com o regresso das celebrações eucarísticas, os escuteiros estão a integrar as equipas de acolhimento para orientar e informar as pessoas”, referiu.
Também a Junta de Núcleo de Famalicão esteve e continua a estar envolvida numa série de iniciativas solidárias e de apoio à comunidade. Carlos Pereira, chefe de núcleo, destacou o envolvimento com o Município de Famalicão. “O município pediu ajuda para embalar luvas descartáveis para distribuir à população. O pedido foi feito num sábado ao início da tarde e no sábado à noite já tínhamos as equipas de adultos na ‘linha de montagem’ a trabalhar”, contou o dirigente, referindo que estiveram envolvidos 130 escuteiros, que embalaram 85 mil pares de luvas.
O Núcleo de Famalicão também esteve envolvido na recolha de alimentos para o Banco Alimentar Contra a Fome. “Os agrupamentos mobilizaram-se nas paróquias e este sábado entregamos todos os alimentos recolhidos no Banco Alimentar de Braga”, contou ainda o chefe.

Deixa o teu comentário

Usamos cookies para melhorar a experiência de navegação no nosso website. Ao continuar está a aceitar a política de cookies.

Registe-se ou faça login

Com a sessão iniciada poderá fazer download do jornal e poderá escolher a frequência com que recebe a nossa newsletter.




A 1ª página é sua personalize-a

Escolha as categorias que farão parte da sua página inicial.

Continuará a ver as manchetes com maior destaque.

Bem-vindo ao Correio do Minho
Permita anúncios no nosso website

Parece que está a utilizar um bloqueador de anúncios.
Utilizamos a publicidade para ajudar a financiar o nosso website.

Permitir anúncios na Antena Minho