Correio do Minho

Braga, quinta-feira

‘Escrever, Falar’ de Jacinto Lucas Pires sobe ao palco da Casa das Artes de Famalicão
GNR de Ponte de Lima deteve traficante de droga

‘Escrever, Falar’ de Jacinto Lucas Pires sobe ao palco da Casa das Artes de Famalicão

Viana do Castelo: estudantes promovem “Poesia à solta na Biblioteca”

Vale do Ave

2019-02-20 às 15h33

Isabel Vilhena

A mais recente co-produção da Casa das Artes de Famalicão e da companhia de teatro famalicense Momento - Artistas Independentes ‘Escrever, Falar’ de Jacinto Lucas Pires estreia amanhã no Grande Auditório do teatro municipal.

Em lugar nenhum. Dois homens encontram-se (ou simplesmente estão) e permitem-se partilhar as suas histórias como quem constrói um guião. Viajam repetidamente numa história (que são várias) que eles próprios vão moldando tal como o tempo os molda a eles e os faz crescer e ganhar corpo à medida que falam e escrevem um destino partilhado.
‘Escrever, Falar’ de Jacinto Lucas Pires estreia amanhã no Grande Auditório da Casa das Artes de Vila Nova de Famalicão.
Trata-se de uma co-produção Momento - Artistas Independentes e Casa das Artes de Vila Nova de Famalicão.

O encenador da peça, Simão do Vale Africano, explica que o espectáculo “trata de duas pessoas que estão no exercício de criação literária e que, através desse exercício, vão desenvolvendo os personagens e as histórias que cada um tem para contar. Têm duas filosofias e abordagens completamente diferentes e contrastantes que são o movente especial da peça.”
É um trabalho sintético de Jacinto Lucas Pires que, em cerca de uma hora, mostra as suas melhores qualidades como dramaturgo, trazendo os seus personagens que crescem no arco de tempo dos próprios espectáculos e se encontram, se reescrevem quase como se pudéssemos assistir ao vivo e a cores ao fenómeno impalpável do aparecimento de uma pessoa em cena.

Com interpretação do vizelense Daniel Silva e do famalicense Diogo Freitas, da Companhia de Teatro de Joane, Famalicão, Momento - Artistas Independentes, os actores falam de “uma descoberta do texto do Jacinto Lucas Pires que é muito bonito”, realçando que este texto “tem uma característica especial, tem que ser feito por dois actores que se conhecem muito bem em cena. Eu e o Daniel temos isso, para além de termos frequentado a mesma formação, conhecemo-nos muito bem em palco.”

Diogo Freitas garante que o espectáculo “será uma hora e dez bem passada com dois actores em diálogo, o que se faz muito pouco.”
O espectáculo vai estar em cena amanhã e prolonga-se até sábado, às 21.30 horas e no domingo será levado à cena às 16 horas. A entrada tem o custo de 4 euros. Para estudantes e Cartão Quadrilátero Cultural custa apenas 2 Euros.
Depois da Casa das Artes de Famalicão, a Companhia de Teatro famalicense, Momento - Artistas Independentes, leva a peça ‘Escrever, Falar’ de Jacinto Lucas Pires para o Teatro Diogo Bernardes em Ponte de Lima.

Deixa o teu comentário

Usamos cookies para melhorar a experiência de navegação no nosso website. Ao continuar está a aceitar a política de cookies.

Registe-se ou faça login

Com a sessão iniciada poderá fazer download do jornal e poderá escolher a frequência com que recebe a nossa newsletter.




A 1ª página é sua personalize-a

Escolha as categorias que farão parte da sua página inicial.

Continuará a ver as manchetes com maior destaque.