Correio do Minho

Braga, terça-feira

Escolas de referência sensibilizam para a inclusão dos surdos
“Estou mais maduro e acho que as coisas vão correr bem”

Escolas de referência sensibilizam para a inclusão dos surdos

Freguesia de Ferreiros já tem abastecimento de água

As Nossas Escolas

2016-04-27 às 06h00

Teresa M. Costa

Mais de três centenas de alunos surdos, professores e técnicos mostraram ontem as competências adquiridas graças ao trabalho desenvolvido por oito agrupamentos e escolas de referência na educação e ensino bilingue dos alunos surdos, como é o caso do Agrupamento de Escolas D. Maria II, em Braga, em cuja escola-sede decorreram várias actividades. O objectivo foi celebrar o Dia Nacional da Educação de Surdos e o Dia da Juventude Surda e, ao mesmo tempo, sensibilizar a comunidade para a inclusão de pessoas surdas.

Mais de três centenas de alunos surdos, professores e técnicos mostraram ontem as competências adquiridas graças ao trabalho desenvolvido por oito agrupamentos e escolas de referência na educação e ensino bilingue dos alunos surdos, como é o caso do Agrupamento de Escolas D. Maria II, em Braga, em cuja escola-sede decorreram várias actividades.

O objectivo foi celebrar o Dia Nacional da Educação de Surdos e o Dia da Juventude Surda e, ao mesmo tempo, sensibilizar a comunidade para a inclusão de pessoas surdas.
Falando à margem do Dia Nacional da Educação de Surdos, a coordenadora do Departamento de Educação Especial do Agrupamento D. Maria II, Luísa Campos, sustenta que “a sociedade precisa de perceber melhor a surdez, perceber e saber comunicar com as pessoas surdas”, apontando que “há muitos mitos associados a este problema”.

Reconhecendo que “ainda há muitos preconceitos e muita barreira a derrubar”, Luísa Campos afirma: “não esperamos que, de repente, toda a gente aprenda a língua gestual, mas saber que é importante falar de frente, que não se pode exigir a um surdo que fale ao telefone”.
Como agrupamento de referência e com actividades como as de ontem “procuramos ser mais um alerta para que as pessoas surdas tenham direito á educação, ao trabalho e direito à vida tão normal quanto é possível” reforça a coordenadora do Departamento de Educação Especial.

“No dia-a-dia, procuramos que eles se identifiquem como comunidade, que assumam o seu estatuto de pessoas surdas dentro da comunidade mais alargada e, além da identidade cultural dar-lhes a melhor educação possível, porque nós somos escolas e queremos que eles prossigam estudos e que cheguem tão longe quanto as suas capacidades lhes permitam, que não seja a surdez que os vai impedir de chegar a um curso que queiram, em qualquer área” descreve Luísa Campos.

No ensino superior, ainda há trabalho a fazer, refere a coordenadora de Educação Especial do Agrupamento D. Maria II que salvaguarda, no entanto, que “a maior parte das universidades já tem intérpretes, mas não todas, sem as famílias terem que pagar do seu bolso”.

D. Maria II acolhe 81 surdos

Desde a intervenção precoce até ao 11.º ano de escolaridade, o Agrupamento de Escolas D. Maria II acolhe 81 alunos surdos e no próximo ano, a educação e ensino bilingue de alunos surdos serão estendidos ao 12.º ano, avançou ontem o director, João Dantas.

O director reconhece que ser agrupamento de referência é exigente do ponto de vista dos recursos humanos e financeiros e exemplifica com o transporte dos alunos em que são gastos mais de 170 mil euros, verba superior às despesas de funcionamento da EB 2,3 de Lamaçães e da secundária. Mesmo assim, João Dantas assume que é uma mais-valia para o Agrupamento, até porque 'com estes apoios os alunos chegam melhor preparados'. 'É um investimento grande, mas traz também resultados para estas crianças e jovens' reforça.

Várias actividades para sensibilizar

O Grupo de Bombos do Centro Dr. João Novais e Sousa recebeu ontem os participantes no Dia Nacional da Educação de Surdos, na Escola Secundária D. Maria II, em Braga, onde houve também passagem de modelos temática e a apresentação do ‘hino à educação do surdo”, uma criação do Agrupamento D. Maria II que pegou numa música dos D.A.M.A e adaptou a letra à efeméride.
Para perpetuar estes valores, foi pintado um mural alusivo ao Dia Nacional da Educação de Surdos, na Sala do Aluno, entre outras actividades.

Deixa o teu comentário

Usamos cookies para melhorar a experiência de navegação no nosso website. Ao continuar está a aceitar a política de cookies.

Registe-se ou faça login

Com a sessão iniciada poderá fazer download do jornal e poderá escolher a frequência com que recebe a nossa newsletter.




A 1ª página é sua personalize-a

Escolha as categorias que farão parte da sua página inicial.

Continuará a ver as manchetes com maior destaque.