Correio do Minho

Braga, quarta-feira

- +
Escolas de Maximinos prontas para nova fase
UMinho integra projeto europeu para melhorar competências digitais das mulheres migrantes

Escolas de Maximinos prontas para nova fase

Nova Escola Básica de Avidos começa a ganhar forma no primeiro semestre deste ano

Escolas de Maximinos prontas para nova fase

As Nossas Escolas

2021-02-06 às 06h00

Paula Maia Paula Maia

Agrupamento fez cobertura dos alunos de Acção Social de todos os níveis de ensino e ainda alunos de famílias numerosas.

No Agrupamento de Escolas de Maximinos a situação referente aos equipamentos informáticos parece ser a mais estabilizada muito devido ao facto estar inserido em território TEIP (Programa Territórios Educativos de Intervenção Prioritária) que permitiu a este conjunto de escolas o acesso a mais meios informáticos. “Atribuímos equipamentos aos alunos que estão doentes em casa, aos alunos de escalão A e B e ainda a alunos de famílias numerosas”, avança o director do agrupamento, adiantando que ao abrigo do programa TEIP foram adquiridos 275 tablets, meios que permitiram responder às necessidades dos alunos de Acção Social de vários ciclos e ainda aos alunos de famílias numerosas. “Fez-se um levantamento das necessidades porque há quem tenha escalão, mas não precise actualmente de equipamento”, continua Paulo?Jorge Antunes.

Do Ministério da Educação chegaram apenas 32 portáteis para os alunos do ensino secundário. “O que nos tem valido é a câmara municipal. Já tínhamos recebido 150 portáteis no final de Outubro e agora recebemos mais 32”, continua o dirigente, adiantando que estes equipamentos permitam uma cobertura de 25% “Quem precisa e pediu teve o seu equipamento”, assegura Paulo Jorge Antunes.
Ao abrigo do programa TEIP estão já encomendados mais uma centena de portáteis e 110 tablets.
No Agrupamento de Escolas Francisco Sanches a bolsa de equipamentos que a câmara disponibilizou tem sido crucial para o apoio aos alunos. Desde o início da pandemia já foram entregues 239 computadores, sendo que na última semana chegaram 44.

“Fizemos uma seriação com base em critérios já aprovados no Conselho Pedagógico e, mesmo assim, estamos a tentar gerir de forma a abranger o máximo de alunos possível”, confessa Arlindo Antunes de Sousa, acrescentando que as escolas estão a valer-se de recursos mais antigos de que já dispunham. Tal como Maximinos, além dos escalões A e B, o agrupamento quer apoiar os alunos de famílias numerosas.
Ao abrigo do programa TEIP, o agrupamento também dispõe de alguns equipamentos que serão utilizados por alunos que terão aulas presenciais.

Escolas de portas abertas para filhos de pais com profissões essenciais e NEE

O ensino à distância não será para todos, sendo que as escolas continuarão de portas abertas para alunos de grupos específicos, nomeadamente os alunos com Necessidades Educativas Especiais.
Em Maximinos as aulas presenciais vão concentrar-se na secundária.
Como escola de acolhimento, a Francisco Sanches vai receber não só filhos de cidadãos com profissões essenciais, mas também alunos que, tendo condições específicas de aprendizagem, vão ter aulas presenciais.
No Agrupamento Alberto Sampaio serão mais de 20 os alunos que regressarão à escola para o ensino presencial.

Deixa o teu comentário

Usamos cookies para melhorar a experiência de navegação no nosso website. Ao continuar está a aceitar a política de cookies.

Registe-se ou faça login

Com a sessão iniciada poderá fazer download do jornal e poderá escolher a frequência com que recebe a nossa newsletter.




A 1ª página é sua personalize-a

Escolha as categorias que farão parte da sua página inicial.

Continuará a ver as manchetes com maior destaque.

Bem-vindo ao Correio do Minho
Permita anúncios no nosso website

Parece que está a utilizar um bloqueador de anúncios.
Utilizamos a publicidade para ajudar a financiar o nosso website.

Permitir anúncios na Antena Minho