Correio do Minho

Braga, quarta-feira

- +
Equipa de voluntários de Ferreiros faz a diferença na vida da comunidade
Dia das Bandeiras Verdes 2019 no Multiusos de Guimarães

Equipa de voluntários de Ferreiros faz a diferença na vida da comunidade

Cabeceiras faz requalificação urbanística na entrada da vila

Equipa de voluntários de Ferreiros faz a diferença na vida da comunidade

Braga

2016-03-20 às 11h23

Isabel Vilhena Isabel Vilhena

Amor ao próximo é que faz mover esta equipa de voluntários de Ferreiros que acompanham famílias em situação de carência, ajudando-as a reestruturarem-se e garantindo-lhes apoio nas suas necessidades básicas, mas, sobretudo, dando-lhes afecto.

A vontade de querer algo pelo próximo e os pedidos constantes de ajuda ao padre da paróquia de Ferreiros fez crescer em Laura Barbosa o ‘bichinho’ do voluntariado.
Natural e residente em Ferreiros, mãe de dois filhos, catequista, tem duas licenciaturas - Serviço Social e Ciências Religi- osas - e uma necessidade crescente de ajudar os outros.
Com um sorriso estampado no rosto, Laura Barbosa contou à reportagem do ‘CM’ como surgiu a ‘Dádiva- Voluntariado em Acção’ que hoje apoia 70 famílias de Ferreiros e de freguesias vizinhas de Maximinos, Sequeira e Vilaça.
“Quando terminei a licenciatura de Serviço Social, estava a trabalhar no lar do Centro Social de Ferreiros. Foi quando constatei que o serviço de apoio ao domicilio era muito limitado. Com o horário das 8 da manhã às 17 horas, achava que fazíamos muito aquele trabalho de take away. E eu não queria isso, queria que houvesse uma equipa de voluntários que fosse à casa das pessoas e que vissem como e que estavam se tinham alimentado, se estavam bem, se precisam de um médico, de compras. Era melhorar o serviço de apoio ao domicílio com uma equipa de voluntários extra horário definido pelo serviço.”, explicou Laura Barbosa que dedicou o seu projecto final de curso ao Voluntariado no Serviço de Apoio ao Domicílio.
E, assim nasceu a Pastoral Sócio Caritativa do Centro Social da Paróquia Ferreiros. No terreno desde 2008, começou com os voluntários indo à casa das pessoas, dando todo o apoio depois das 17 horas. As tarefas são muito diversificadas, vão desde pequenas reparações, pinturas, remodelações de casa, às compras até acompanhamento às consultas, ou então simplesmente companhia. “Tínhamos uma senhora que, entretanto já faleceu, que as voluntárias iam lá à noite passar o serão.

Deixa o teu comentário

Usamos cookies para melhorar a experiência de navegação no nosso website. Ao continuar está a aceitar a política de cookies.

Registe-se ou faça login

Com a sessão iniciada poderá fazer download do jornal e poderá escolher a frequência com que recebe a nossa newsletter.




A 1ª página é sua personalize-a

Escolha as categorias que farão parte da sua página inicial.

Continuará a ver as manchetes com maior destaque.