Correio do Minho

Braga, quarta-feira

Entrada fulminante em Belém acaba com jejum fora de casa
Mulher ferida com gravidade em atropelamento junto ao Picoto

Entrada fulminante em Belém acaba com jejum fora de casa

Marca Namorar Portugal lança-se no mercado da saudade

Desporto

2017-03-19 às 06h00

Miguel Machado

TRÊS MESES DEPOIS o SC Braga voltou ontem a ganhar fora para o campeonato ao vencer no Restelo, por 2-1, na 26.ª jornada. Arranque forte dos Guerreiros atirou o Belenenses ao tapete em 19 minutos.

Não há mal que sempre dure e nada como uma entrada ‘à matador’, em plena cidade capital, para acabar com o calvário bracarense que já durava há três meses sem vencer fora de casa para o campeonato. Triunfo por 2-1, traduz exibição sólida e, sobretudo, eficaz dos Guerreiros do Minho, na visita ao Belenenses, na 26.ª jornada da I Liga, a consolidar o quarto lugar. Foi também a primeira vitória conquistada pelo SC Braga fora de casa nesta segunda volta do campeonato, desde a chegada do treinador Jorge Simão.
A equipa arsenalista teve, ontem, uma entrada verdadeiramente fulminante, no Restelo, e precisou apenas de 19 minutos para atirar os azuis do Restelo ao tapete. Ainda o relógio não tinha contabilizado o primeiro minuto de jogo — com os adeptos ainda a acomodar-se nas bancadas — e os Guerreiros já estavam em vantagem no marcador, beneficiando de um auto-golo de Florent, num atraso infeliz do defesa do Belenenses, de cabeça, apanhando o guarda-redes Cristiano desprevenido fora dos postes, após um lançamento longo de Ricardo Horta.
Com a equipa de Belém claramente afectada com o golpe sofrido ainda a frio, o SC Braga continuou a carregar no jogo, tendo em Ricardo Horta o carregador do piano arsenalista. E foi sem surpresa que a equipa minhota ampliou a vantagem aos 19 minutos, por intermédio do avançado Rui Fonte a ‘rodar’ na área à vontade e a bater o guardião Cristiano pela segunda vez.
No entanto, duraram pouco os festejos bracarenses, pois o Belenenses praticamente no lance seguinte conquistou um penálti muito duvidoso na área do Braga, após ‘queda’ de Juanto num lance normal com Rosic. A verdade é que o árbitro nada assinalou e foi dos assistentes que veio a indicação do penálti, que Maurides aproveitou para reduzir.
Empolgados pelo golo oferecido, os jogadores do Belenenses reanimaram-se na partida e até ao intervalo criaram dificuldades aos guerreiros do Minho. Valeu ao SC Braga a inspiração de Marafona na baliza.
Depois dos primeiros 45 minutos frenéticos, o ritmo do jogo baixou na segunda parte. Mais obrigado a isso, o Belenenses tentou tomar conta do domínio para chegar ao empate, mas o SC Braga conseguiu sempre suster o ímpeto dos azuis. E a melhor oportunidade de golo até foi o SC Braga, com Stjiljkovic, isolado, aos 74 minutos, a não conseguir bater Cristiano.
No último quarto de hora da partida, a agressividade do Belenenses ditou a expulsão ao recém entrado Fábio Nunes, aos 84 minutos, jogador que esteve apenas 25 minutos em campo. A partir daqui e até ao apito final, os guerreiros geriram, com experiência, o jogo e a vantagem.

Deixa o teu comentário

Usamos cookies para melhorar a experiência de navegação no nosso website. Ao continuar está a aceitar a política de cookies.

Registe-se ou faça login

Com a sessão iniciada poderá fazer download do jornal e poderá escolher a frequência com que recebe a nossa newsletter.




A 1ª página é sua personalize-a

Escolha as categorias que farão parte da sua página inicial.

Continuará a ver as manchetes com maior destaque.