Correio do Minho

Braga, quarta-feira

- +
Energia: Autarca de Esposende teme que 'WindFloat' interfira com Parque Natural e quer esclarecimentos ao Governo
Alunos do pré-escolar e 1.º ciclo assistem a concerto didáctico

Energia: Autarca de Esposende teme que 'WindFloat' interfira com Parque Natural e quer esclarecimentos ao Governo

Dia das Bandeiras Verdes 2019 no Multiusos de Guimarães

Cávado

2011-10-10 às 20h34

Lusa Lusa

O presidente da Câmara de Esposende teme que o projeto de energia eólica da EDP, a instalar no município contíguo da Póvoa de Varzim, interfira com a área protegida do Parque Natural do Litoral Norte.

O presidente da Câmara de Esposende teme que o projeto de energia eólica da EDP, a instalar no município contíguo da Póvoa de Varzim, interfira com a área protegida do Parque Natural do Litoral Norte.

João Cepa disse hoje que já solicitou ao Ministério da Agricultura, Mar, Ambiente e Ordenamento do Território o envio dos 'estudos e pareceres' que ditaram a instalação do 'WindFloat' na freguesia de Aguçadoura.

O autarca mostra-se 'preocupado' com a instalação da estrutura, porque teme que 'tenha influência' negativa no Parque Natural que está sob a alçada do Instituto de Conservação da Natureza e da Biodiversidade (ICNB).

E lembrou que é o ICNB que 'emite pareceres desfavoráveis a pedidos de licenciamento de instalações de aquacultura em espaço marítimo adjacente, assim como interdita qualquer projeto, no âmbito das energias renováveis'.

E o que está imposto para aquela zona é que, por exemplo, 'se desliguem os motores das embarcações quando estas atravessam determinadas zonas para não criar qualquer impacto ambiental', disse.

Ora, e como não está, sequer, autorizada a 'destruição de meia dúzia de rochas na praia de Apúlia, imprescindível para facilitar a entrada e saída em segurança das embarcações de pesca, por causa da preservação ambiental', João Cepa 'estranha' haver pareceres ou estudos que viabilizem a colocação do WindFloat naquela zona.

O autarca, que lamenta ter sabido do projeto pela 'comunicação social', espera agora que o Governo lhe faça chegar 'todos os estudos e pareceres' realizados no âmbito deste projeto de energia eólica.

A Lusa contactou a EDP para saber se a instalação da estrutura teve em conta o Parque Natural e se foram realizados estudos nesse âmbito, mas, até ao momento, a empresa não deu qualquer resposta.

Entretanto, João Cepa fez questão de salientar a importância de um projeto, que representa um investimento de 20 milhões de euros e vai possibilitar a criação de oito mil postos de trabalho, porque vai permitir 'a revitalização de áreas da economia nacional tão relevantes quanto a construção e a reparação naval'.

O WindFloat é constituído por uma tecnologia semi-submersível, semelhante a uma plataforma petrolífera com três pilares, sendo que num deles é instalada a torre eólica, com uma turbina.

A estrutura, semi-submergível, produzirá energia a seis quilómetros da orla litoral e a cerca de 60 metros de profundidade.

As freguesias mais próximas serão Aguçadoura, na Póvoa de Varzim, e Apúlia, em Esposende, sendo que esta última freguesia se insere no Parque Natural do Litoral Norte.

Deixa o teu comentário

Usamos cookies para melhorar a experiência de navegação no nosso website. Ao continuar está a aceitar a política de cookies.

Registe-se ou faça login

Com a sessão iniciada poderá fazer download do jornal e poderá escolher a frequência com que recebe a nossa newsletter.




A 1ª página é sua personalize-a

Escolha as categorias que farão parte da sua página inicial.

Continuará a ver as manchetes com maior destaque.