Correio do Minho

Braga, quinta-feira

Empresários famalicenses mais próximos do mercado cubano
Encontros “Viana abordo” querem fomentar inovação e empreendedorismo em Viana do Castelo

Empresários famalicenses mais próximos do mercado cubano

Eurodeputados minhotos: “Temos que continuar a defender a democracia e a liberdade”

Vale do Ave

2018-12-06 às 19h23

Redacção

Com a assinatura de protocolo de cooperação entre a Câmara Municipal e a Câmara de Comércio Portugal-Cuba

A operação de charme da Caixiave no mercado cubano começou no início deste ano e, neste momento, a empresa líder no mercado ibérico em janelas e portas eficientes tem já em carteira quatro potenciais negócios neste país. Otimista e expectante, o CEO da empresa, Carlos Sá, espera para breve a assinatura dos primeiros contratos.  
A Caixiave é uma das empresas do concelho famalicense que já colhe frutos da parceria estabelecida entre a Câmara Municipal de Vila Nova de Famalicão e a Câmara de Comércio Portugal-Cuba, formalizada esta quarta-feira, 5 de dezembro, com a assinatura de um protocolo de colaboração tendo em vista a melhoria de condições de cooperação e de promoção de investimentos entre as empresas de Vila Nova de Famalicão e os agentes económicos de Cuba.
“Temos consciência de que o mercado cubano é difícil, mas temos boas expectativas. Foi com a recomendação da Câmara Municipal que a Câmara de Comércio fez a primeira abordagem à Caixiave e esse foi o ponto de partida para chegarmos onde estamos hoje. Até agora esta relação está a ser excelente”, disse Carlos Sá.
O protocolo ontem assinado pelo presidente do município, Paulo Cunha, e pelo presidente da Câmara de Comércio, Américo Castro, prevê a realização de ações de capacitação empresarial e de informação às empresas sobre oportunidades de negócio e investimento e os instrumentos disponíveis de apoio à internacionalização, assim como a realização de ações de promoção das empresas famalicenses no mercado cubano no quadro da participação em feiras internacionais, missões e outros eventos evento no exterior, de campanhas de mercado e na organização de missões inversas.
Uma parceria que, conforme explica Paulo Cunha, traz conforto institucional às empresas do concelho na abordagem a “um mercado que é difícil, mas que tem dado sinais concretos de que está disponível e aberto às empresas e produtos com qualidade”.
“Em Famalicão temos muitos bons empresários com condições e potencial para chegar a um mercado tão exigente, mas este é um tipo de mercado que quem achar que consegue entrar sozinho, muito dificilmente o conseguirá fazer. A abordagem à internacionalização deve ser cuidada e muito bem pensada e a Câmara Municipal e a Câmara de Comércio estão disponíveis para serem interlocutores para uma abordagem acertada”, acrescentou.
Américo Castro, não tem dúvidas de quem em Vila Nova de Famalicão “existem muitas empresas com competência e perfil para Cuba”.
“Em Cuba as possibilidades são imensas para se fazer negócio. Com tempo e assertividade os resultados são possíveis, mas é importante que haja interlocutores que conheçam bem o mercado e que façam o devido acompanhamento para que os empresários consigam perceber a cultura de negócios deste país”.
Refira-se que com este acordo, as duas entidades comprometem-se ainda a disponibilizar apoio e colaboração a iniciativas de aliança estratégica entre agentes económicos dos dois países que promovam, em parceria, ações de capacitação, inovação e transferência tecnológica, que possam contribuir para a intensificação das relações institucionais.

Deixa o teu comentário

Usamos cookies para melhorar a experiência de navegação no nosso website. Ao continuar está a aceitar a política de cookies.

Registe-se ou faça login

Com a sessão iniciada poderá fazer download do jornal e poderá escolher a frequência com que recebe a nossa newsletter.




A 1ª página é sua personalize-a

Escolha as categorias que farão parte da sua página inicial.

Continuará a ver as manchetes com maior destaque.