Correio do Minho

Braga, terça-feira

- +
Eixo Atlântico pede isenção nas portagens fronteiriças para ajudar o turismo
Meia centena de famílias vulneráveis recebeu apoio alimentar no confinamento

Eixo Atlântico pede isenção nas portagens fronteiriças para ajudar o turismo

Porto de Viana acolhe fábrica de produção de conversores de energia de ondas

Eixo Atlântico pede isenção nas portagens fronteiriças para ajudar o turismo

Braga

2020-06-04 às 11h00

Marlene Cerqueira Marlene Cerqueira

Eixo Atlântico pede ao Governo português a isenção de portagens nas antigas SCUT fronteiriças, “pelo menos temporaria-mente”, para apoiar a “recuperação de turistas”. Pedido foi feito através de carta, por Ricardo Rio.

Ricardo Rio, na qualidade de presidente do Eixo Atlântico, apelou ao Governo para que isente de portagens as SCUT fronteiriças, pelo menos temporariamente, como medida de apoio à recuperação dos turistas vindos de Espanha.
No pedido, feito através de uma carta dirigida ao ministro das Infraestruturas, Pedro Nuno Santos, Ricardo Rio argumenta que “sobretudo na região Norte”, os espanhóis representam “o principal mercado turístico com um volume significativo económico para as nossas cidades”.
Em causa estão, sobretudo, as portagens na A28, que liga o Minho ao Porto, na A27, que faz a ligação a Vila Nova de Gaia e, no interior, sobretudo a A24.
Na Galiza, a situação é diferente, uma vez que existem duas ‘autovias’, mas apenas uma delas é paga.
Na carta a Pedro Nuno Santos, aproveita ainda para solicitar uma reunião com o ministro, para “abordar questões relacionadas com infra-estruturas”, questões essas que já tinham sido abordadas com o antecessor deste ministro, Pedro Marques, e que também são já conhecidas de António Costa, primeiro-ministro.
“Tratam-se de infra-estruturas para o desenvolvimento que neste momento são mais necessárias do que nunca, tanto aquelas que dependem exclusivamente do Governo de Portugal como aquelas que devem ser articuladas com Espanha ou que já estavam em processo de discussão e sobre as quais neste momento não temos informação sobre a situação em que se encontram”, escreve Ricardo Rio na missiva.

Deixa o teu comentário

Usamos cookies para melhorar a experiência de navegação no nosso website. Ao continuar está a aceitar a política de cookies.

Registe-se ou faça login

Com a sessão iniciada poderá fazer download do jornal e poderá escolher a frequência com que recebe a nossa newsletter.




A 1ª página é sua personalize-a

Escolha as categorias que farão parte da sua página inicial.

Continuará a ver as manchetes com maior destaque.

Bem-vindo ao Correio do Minho
Permita anúncios no nosso website

Parece que está a utilizar um bloqueador de anúncios.
Utilizamos a publicidade para ajudar a financiar o nosso website.

Permitir anúncios na Antena Minho