Correio do Minho

Braga,

- +
Domingos Bragança aposta na Educação, Cultura e Ciência
Dez nacionalidades pagaiaram na DKC de Viana

Domingos Bragança aposta na Educação, Cultura e Ciência

Sete metros de chocolate solidário revertem a favor das instituições

Domingos Bragança aposta na Educação, Cultura e Ciência

Vale do Ave

2021-10-17 às 06h00

José Paulo Silva José Paulo Silva

Presidente da Câmara Municipal de Guimarães quer preservar o concelho como “referência no país”. Para o novo mandato autárquico definiu três dimensões basilares.

Educação, Cultura e Ciência são as “três dimensões basilares” do terceiro mandato de Domingos Bragança na presidência da Câmara Municipal de Guimarães, ontem afirmadas, no Centro Cultural Vila Flor, na cerimónia de instalação do novo executivo e da Assembleia Municipal saídos das eleições autárquicas de 26 de Setembro. O reeleito presidente da Câmara sublinhou que “a aposta nestas três dimensões basilares permitirá avançar dois dos objectivos maiores para Guimarães: a coesão social e territorial e o desenvolvimento ambientalmente sustentável”.
Segundo o edil socialista, a aposta na Educação, Cultura e Ciência será "decisiva para uma economia cada vez mais forte e abrangente”, num “um território mais criativo, inovador, competitivo, digital e mais ambientalmente sustentável”, além de “mais inclusivo, integrador, capacitado, coeso e tolerante”.

Dos 30 compromissos do seu programa para os próximos quatro anos, Domingos Bragança destacou, no arranque do seu derradeiro mandato autárquico, o reforço de Guimarães como cidade de formação e produção cultural, com a instalação, no Teatro Jordão e Garagem Avenida, da Escola de Artes Performativas e Artes Visuais da Universidade do Minho e do Conservatório de Música. 
Acrescentou aos “novos caminhos de futuro” o alargamento da área do centro histórico de Guimarães classificada como Património Cultural da Humanidade à zona de Couros, a próxima abertura do Instituto Cidade de Guimarães como o maior centro de medicina regenerativa da Europa e a instalação, também no Parque Tecnológico das Taipas, do supercomputador verde Deucalion.

“São novos os caminhos do futuro quando apostamos na criação da Academia de Transformação Digital, a instalar na Fábrica do Alto, em Pevidém”, adiantou o presidente da Câmara Municipal de Guimarães no seu primeiro acto do novo mandato autárquico, apontando também a instalação, na Fábrica do Arquinho, do novo curso de Engenharia Aeroespacial da Universidade do Minho, que dinamizará “uma das zonas da cidade em franca e visível transformação” e, ainda, a próxima instalação da Escola-Hotel do Instituto Politécnico do Cávado e Ave, na Quinta do Costeado.
Para o novo mandato, Domingos Bragança promete, por outro lado, escrever “uma nova página do domínio do transporte público de passageiros”, com a nova concessão que entrará em funcionamento em 2022. A par, será colocado em discussão pública o estudo do sistema de mobilidade e reivindicado junto do Governo um eixo ferroviário de ligação à futura estação de alta velocidade. “A mobilidade ciclável e pedonal conhecerá um novo ciclo, com a ligação da ecovia da cidade à ecovia do Ave”.

Assembleia continua a ser realidade muito distante

osé João Torrinha será reeleito, a 5 de Novembro, presidente da Assembleia Municipal de Guimarães, dada a expressiva maioria absoluta que o Partido Socialista tem neste órgão autárquico. Ontem, durante o momento, defendeu que esta tem de ser “um órgão de fiscalização mais eficiente e eficaz” e que deve ser combatida a “exagerada assimetria entre os órgãos eleitos”, atendendo a que a Assembleia Municipal continua “a ser uma realidade muito distante do comum dos vimaranenses”.
Do balanço dos últimos quatro anos, João José Torrinha reconheceu que foram dados passos no sentido de uma “Assembleia Municipal mais justa, mais equitativa e mais aberta”.
A nova Assembleia Municipal de Guimarães é constituída por 25 eleitos do Partido Socialista, 18 da coligação PSD/CDS, três da CDU, um do Chega, um do Bloco de Esquerda e um da Iniciativa Liberal, a que se juntam 48 presidentes de juntas e uniões de freguesia, 36 dos quais eleitos em listas socialistas e 12 pela coligação PSD/CDS.

Deixa o teu comentário

Usamos cookies para melhorar a experiência de navegação no nosso website. Ao continuar está a aceitar a política de cookies.

Registe-se ou faça login

Com a sessão iniciada poderá fazer download do jornal e poderá escolher a frequência com que recebe a nossa newsletter.




A 1ª página é sua personalize-a

Escolha as categorias que farão parte da sua página inicial.

Continuará a ver as manchetes com maior destaque.

Bem-vindo ao Correio do Minho
Permita anúncios no nosso website

Parece que está a utilizar um bloqueador de anúncios.
Utilizamos a publicidade para ajudar a financiar o nosso website.

Permitir anúncios na Antena Minho