Correio do Minho

Braga, sábado

- +
Dois autarcas detidos na ‘teia’ da corrupção
Hospital de Braga recebeu Seminário de Ética 

Dois autarcas detidos na ‘teia’ da corrupção

Casa da Juventude de Famalicão apoia ideias que podem gerar empresas

Dois autarcas detidos na ‘teia’ da corrupção

Casos do Dia

2019-05-30 às 06h00

Redacção Redacção

OPERAÇÃO TEIA levou ontem a várias buscas domiciliárias e não domiciliárias e à detenção dos presidentes das câmaras de Barcelos e de Santo Tirso, entre outros.

Os presidentes das câmaras de Santo Tirso, Joaquim Couto, e de Barcelos, Miguel Costa Gomes, estão entre os quatro detidos, ontem, pela Polícia Judiciária por suspeita de corrupção, tráfico de influência e participação económica em negócio.
Além de Joaquim Couto, 68 anos, e Miguel Costa Gomes, 61 anos, a PJ deteve o presidente Instituto Português de Oncologia (IPO) do Porto, Laranja Pontes, 68 anos, e a empresária Manuela Couto, que é também esposa do presidente da Câmara de Santo Tirso e que já tinha sido detida, no âmbito da investigação que envolve a Entidade Regional de Turismo Porto e Norte de Portugal.
Na operação policial designada ‘Teia’, a Polícia Judiciária, através da Directoria do Norte e no âmbito de inquérito titulado pelo Ministério Público – DIAP do Porto, efectuou buscas nas câmaras de Santo Tirso e de Barcelos.
Na operação policial realizaram-se mais oito buscas, domiciliárias e não domiciliárias, nas zonas do Porto, Santo Tirso, Barcelos e Matosinhos que envolveram dezenas de elementos da Polícia Judiciária - investigadores, peritos informáticos, peritos financeiros e contabilísticos, bem como magistrados judiciais, magistrados do Ministério Público e representantes de ordens profissionais.
A investigação, centrada nas autarquias de Santo Tirso, Barcelos e Instituto Português de Oncologia do Porto, apurou a existência de um esquema generalizado, mediante a actuação concertada de autarcas e organismos públicos, de viciação fraudulenta de procedimentos concursais e de ajuste directo com o objectivo de favorecer primacialmente grupos de empresas, contratação de recursos humanos e utilização de meios públicos com vista à satisfação de interesses particulares.

Deixa o teu comentário

Usamos cookies para melhorar a experiência de navegação no nosso website. Ao continuar está a aceitar a política de cookies.

Registe-se ou faça login

Com a sessão iniciada poderá fazer download do jornal e poderá escolher a frequência com que recebe a nossa newsletter.




A 1ª página é sua personalize-a

Escolha as categorias que farão parte da sua página inicial.

Continuará a ver as manchetes com maior destaque.