Correio do Minho

Braga, segunda-feira

Detido suspeito de atear incêndio em Espinho
Município de Esposende investe 406 mil euros na beneficiação da Escola Básica e Jardim de Infância do Facho

Detido suspeito de atear incêndio em Espinho

Intervenção profunda na faixa da Rodovia promete alterar completamente a mobilidade em Braga

Casos do Dia

2017-04-13 às 14h39

Teresa M. Costa

A Polícia Judiciária, através do Departamento de Investigação Criminal de Braga e com a colaboração da GNR, deteve o suspeito de atear um incêndio, no último domingo, na freguesia de Espinho, em Braga, perto da sua própria casa. O suspeito, um homem de 50 anos, terá provocado o incêndio “num quadro de alcoolismo”. De acordo com fonte policial, com recurso a um isqueiro, terá ateado fogo a uma mata em três locais distintos, junto da sua residência e na proximidade de outras habitações.

A Polícia Judiciária, através do Departamento de Investigação Criminal de Braga e com a colaboração da GNR, deteve o suspeito de atear um incêndio, no último domingo, na freguesia de Espinho, em Braga, perto da sua própria casa.
O suspeito, um homem de 50 anos, terá provocado o incêndio “num quadro de alcoolismo”. De acordo com fonte policial, com recurso a um isqueiro, terá ateado fogo a uma mata em três locais distintos, junto da sua residência e na proximidade de outras habitações.

Em comunicado, a PJ de Braga refere que o incêndio não atingiu maiores proporções devido à “rápida intervenção” dos bombeiros.
Presente ontem a interrogatório judicial, o suspeito ficou obrigado a apresentações bissemanais junto da GNR e proibido de frequentar espaços florestais.
O homem está ainda obrigado, por imposição do tribunal, a tratar-se do problema de alcoolismo.
Só na freguesia de Espinho, onde este suspeito ateou o incêndio no último domingo, foram registadas, o ano passado, oitenta ignições, tendo a PJ detido, na mesma freguesia, outro suspeito no Verão de 2016.

Os incêndios não têm dado tréguas no Minho. Ontem mesmo, deflagraram incêndios em vários concelho, com Refojos de Basto, em Cabeceiras de Basto, em área de povoamento florestal, e Silvares, em Guimarães, a mobilizar mais meios de combate, num total de mais de meia centena de operacionais.

Deixa o teu comentário

Usamos cookies para melhorar a experiência de navegação no nosso website. Ao continuar está a aceitar a política de cookies.

Registe-se ou faça login

Com a sessão iniciada poderá fazer download do jornal e poderá escolher a frequência com que recebe a nossa newsletter.




A 1ª página é sua personalize-a

Escolha as categorias que farão parte da sua página inicial.

Continuará a ver as manchetes com maior destaque.