Correio do Minho

Braga, quarta-feira

Daniel Bastos apresentou Terras de Monte Longo em Paris
Formalizado pedido para suspender alienação do edifício Confiança

Daniel Bastos apresentou Terras de Monte Longo em Paris

Viana do Castelo investe 2 milhões em apoios sociais, promoção do sucesso escolar e projetos educativos

Vale do Ave

2018-03-18 às 20h11

Redacção

A apresentação da obra, uma edição trilingue traduzida para português, francês e inglês com prefácio do conhecido fotógrafo franco-haitiano que imortalizou a história da emigração portuguesa, Gérald Bloncourt, esteve a cargo do empresário português radicado em Paris, Manuel Pinto Lopes, e do deputado eleito pelo do círculo da Europa, Paulo Pisco.

O historiador Daniel Bastos apresentou o seu mais recente livro Terras de Monte Longo na capital francesa.

A obra, concebida a partir do espólio de um dos mais aclamados fotógrafos portugueses da sua geração, José de Andrade (1927-2008), fotógrafo de renome internacional, premiado e exposto em vários cantos do mundo, foi apresentada no Portologia, um dos novos espaços de referência da comunidade portuguesa em Paris.

A apresentação da obra, uma edição trilingue traduzida para português, francês e inglês com prefácio do conhecido fotógrafo franco-haitiano que imortalizou a história da emigração portuguesa, Gérald Bloncourt, esteve a cargo do empresário português radicado em Paris, Manuel Pinto Lopes, e do deputado eleito pelo do círculo da Europa, Paulo Pisco.

No decurso da sessão de apresentação, que contou com a colaboração da Associação Memória das Migrações, o empresário Manuel Pinto Lopes destacou o contributo do livro na valorização do passado e memória coletiva do interior norte de Portugal, enquanto o deputado Paulo Pisco, salientou o percurso dedicado e próximo do historiador Daniel Bastos na promoção das Comunidades Portuguesas.

Refira-se que neste novo livro, realizado com o apoio do Centro Português de Fotografia, instituição pública que assegura a conservação, valorização e proteção legal do património fotográfico nacional, o investigador da nova geração de historiadores portugueses, cujo percurso tem sido alicerçado no seio da Lusofonia, esboça um retrato histórico conciso e ilustrado do interior norte de Portugal em meados dos anos 70.

Através de imagens até aqui inéditas, que José de Andrade captou nessa época em povoados rurais entre o Minho e Trás-os-Montes, o historiador e autor de livros sobre a emigração, aborda as memórias do passado, não muito distante, do Portugal profundo e rural na transição da ditadura para a democracia, um período fundamental da história contemporânea portuguesa, marcado por décadas de carências, isolamento, condições de vida duras e incontáveis episódios de emigração a salto.

Deixa o teu comentário

Usamos cookies para melhorar a experiência de navegação no nosso website. Ao continuar está a aceitar a política de cookies.

Registe-se ou faça login

Com a sessão iniciada poderá fazer download do jornal e poderá escolher a frequência com que recebe a nossa newsletter.




A 1ª página é sua personalize-a

Escolha as categorias que farão parte da sua página inicial.

Continuará a ver as manchetes com maior destaque.