Correio do Minho

Braga, quarta-feira

- +
Cultura une 21 países em Braga
Vizela no segundo congresso iberoamericano de Turismo

Cultura une 21 países em Braga

Estação Náutica de Esposende reúne com parceiros locais

Cultura une 21 países em Braga

Braga

2021-10-16 às 06h00

Miguel Viana Miguel Viana

Segunda sessão da Assembleia Geral da Associação de Teatro Eurasia decorre este fim-de- -semana em Braga e em Santiago de Compostela.

O intercâmbio de produções culturais entre os 21 países que formam a Associação de Teatro Erasia, é o tema dominante da segunda sessão da Assembleia Geral daquele organismo, que decorre este fim-de-semana em Braga (no Altice Fórum) e em Santiago de Compostela (Galiza). “Esta é uma tentativa de responder à realidade política que hoje nos impede de desenvolver muitos aspectos entre os países da Ásia e da Europa. Nós pensamos que a cultura em geral, e no nosso caso, o teatro, pode fazer avançar isso, obrigando à circulação das pessoas, dos produtos artísticos, dos técnicos e dos artistas. Intensificar este trabalho é fundamental, sobre tudo se pensarmos numa Europa que tem de receber imigrantes”, disse Rui Madeira, director da Compannhia de Teatro de Braga, uma das entidades que compõe a Eurasia, e responsável pela organização da Assembleia Geral em Braga. Rui Madeira considera que o teatro pode “trabalhar para a inclusão social, para o esbatimento de tensões e para a diversidade cultural. Esse é o objectivo que se joga aqui.”

O encontro vai servir, também, para programar a actividade da associação nos próximos dois anos, baseada no intercâmbio cultural e na procura de financiamentos.
O presidente da Câmara Municipal de Braga, Ricardo Rio, congratulou-se por Braga receber o encontro e destacou que “ser o ponto de encontro das mais diversas dinâmicas, como a cultura, é sintomático do reconhecimento internacional que Braga vai ganhando e do protagonismo dos nossos agentes no plano internacional, neste caso concreto da Companhia de Teatro de Braga”.

O autarca bracarense referiu ainda que no próximo ano vai haver um reforço do orçamento municipal para a Cultura “por arrastamento, na medida em que há vários projectos de índole cultural que vamos concretizar”. É o caso do edifício da Escola Francisco Sanches, da requalificação do Media Art Center no Cinema S. Geraldo, do Convento de S. Francisco e da Ínsua das Carvalheiras. José Teixeira, CEO do DSTGroup, entidade patrocinadora do encontro, destacou que “o teatro é fundamental para as empresas” e que lamentávelmente. “investimos pouco na Cultura. A Cultura terá de ser o martelo que forjará o novo futuro, com mais beleza, mais poesia e mais teatro. O teatro é arte reconhecida por todos os povos e é uma linguagem universal”.

O responsável pela Eurasia, Alexander Kliment, realçou que nas artes, ao contrário do que acontece nas relações entre países, “não é necessário tradutor. A arte entra no coração e percebemos tudo com os sentidos. Todo o mundo é teatro. Falamos a língua da arte.” O programa de ontem incluiu sessões de trabalho e a estreia da peça Hamlet no Theatro Circo. O evento prossegue hoje em Santiago de Compostela, com uma sessão de trabalho e de apresentação da Eurasia. No domingo é debatido em Braga a criação de um site oficial e de uma plataforma on line.

Deixa o teu comentário

Usamos cookies para melhorar a experiência de navegação no nosso website. Ao continuar está a aceitar a política de cookies.

Registe-se ou faça login

Com a sessão iniciada poderá fazer download do jornal e poderá escolher a frequência com que recebe a nossa newsletter.




A 1ª página é sua personalize-a

Escolha as categorias que farão parte da sua página inicial.

Continuará a ver as manchetes com maior destaque.

Bem-vindo ao Correio do Minho
Permita anúncios no nosso website

Parece que está a utilizar um bloqueador de anúncios.
Utilizamos a publicidade para ajudar a financiar o nosso website.

Permitir anúncios na Antena Minho