Correio do Minho

Braga, sexta-feira

- +
Comunidade surda solicita a contratação urgente de Intérpretes
Eixo Atlântico pede isenção nas portagens fronteiriças para ajudar o turismo

Comunidade surda solicita a contratação urgente de Intérpretes

Viana: Revisão Orçamental com reforço de 220 mil euros

Comunidade surda solicita a contratação urgente de Intérpretes

Nacional

2020-03-30 às 19h00

Rui Miguel Graça Rui Miguel Graça

Decorre nas redes sociais uma petição pública da comunidade surda portuguesa, no sentido de solicitar a contratação urgente de Intérpretes de Língua Gestual Portuguesa a integrarem nos serviços de emergência.

"Vimos, por este meio, solicitar a contratação urgente de Intérpretes de Língua Gestual Portuguesa a integrarem nos serviços de emergência, como, SNS24, MAI112 e Serviin de forma a possibilitar a acessibilidade plena (informação /comunicação) aos serviços, por parte de toda a comunidade surda", pode ler-se na petição pública que decorre nas redes sociais.

"Como todos sabemos, estamos a passar por uma situação muito crítica, devido ao Covid-19. Nós, a comunidade Surda, necessitamos, com muita urgência, de informação/comunicação direta com os serviços de emergência com a presença de intérpretes de língua gestual portuguesa, pois só através destes profissionais poderemos ter o acesso pleno à comunicação. Consideramos que o momento atual, pelo qual estamos a passar, é muito grave e de momento existe apenas um intérprete da MAI112, um único intérprete para milhares de surdos.
Somos cidadãos portugueses, somos cidadãos surdos portugueses e a nossa prioridade neste momento passa por usufruirmos do pleno direito à informação e à comunicação. Assim, vimos solicitar a contratação urgente de intérpretes de língua gestual portuguesa que façam a ponte de comunicação entre nós, surdos e os profissionais que trabalham nos serviços de emergência, os médicos e enfermeiros, através de vídeochamada. Somos cidadãos como qualquer outro e como tal exigimos que nos tratem de igual forma, com os mesmos direitos", pode ler-se no mesmo texto que ao início da tarde tinha cerca de duzentos subscritores.

O comunicado termina a pedir para que "Portugal não pare e para que não seja criada uma situação de calamidade social, é urgente que o nosso Ilustre Sr. Presidente da República, Governo, DGS, Exmos. Srs. Deputados e Tutela tomem medidas urgentes e palpáveis no que toca a esta situação em particular".

Deixa o teu comentário

Usamos cookies para melhorar a experiência de navegação no nosso website. Ao continuar está a aceitar a política de cookies.

Registe-se ou faça login

Com a sessão iniciada poderá fazer download do jornal e poderá escolher a frequência com que recebe a nossa newsletter.




A 1ª página é sua personalize-a

Escolha as categorias que farão parte da sua página inicial.

Continuará a ver as manchetes com maior destaque.

Bem-vindo ao Correio do Minho
Permita anúncios no nosso website

Parece que está a utilizar um bloqueador de anúncios.
Utilizamos a publicidade para ajudar a financiar o nosso website.

Permitir anúncios na Antena Minho