Correio do Minho

Braga, quarta-feira

- +
Comunidade de Energias Renováveis de Neiva permite a empresas produzir 47% da energia consumida a partir de fontes renováveis
“Última coisa que pode ocorrer nesta execução é desbaratarmos fundos”

Comunidade de Energias Renováveis de Neiva permite a empresas produzir 47% da energia consumida a partir de fontes renováveis

Simon Banza é aposta claramente ganha

Comunidade de Energias Renováveis de Neiva permite a empresas produzir 47% da energia consumida a partir de fontes renováveis

Alto Minho

2021-10-13 às 18h15

Redacção Redacção

O governante indicou ainda que a revisão da legislação do setor energético, prestes a ser concluída, prevê a criação de três zonas livres tecnológicas, sendo que Viana do Castelo será consagrada com uma zona livre para as offshore e as energias oceânicas. Segundo João Galamba, a criação de uma Zona Livre Tecnológica em Viana do Castelo visa ir “além de projetos à escala industrial e ter também projetos-piloto, ser uma zona de testes, inovação, um laboratório vivo para energias oceânicas”.

O Município de Viana do Castelo e quatro empresas situadas na Zona Industrial de Neiva assinaram ontem um memorando de entendimento para a criação de uma Comunidade de Energias Renováveis (CER) naquele parque empresarial, num momento que contou com a presença do Secretário de Estado Adjunto e da Energia, João Galamba.
O governante congratulou-se com a criação desta CER industrial que junta a Martifer Renewables e três empresas instaladas na Zona Industrial do Neiva – Browning, Lacoviana e Portilame – que, dentro de um ano e meio, “vão passar a produzir 47,6 % da energia que consomem anualmente, a partir de fonte 100% renovável”.
A CER corresponde a um projeto de autoconsumo a partir de fontes de energia renovável em que um conjunto de entidades se une para produzir e consumir energia, com a possibilidade de armazenar e vender a energia excedente. Para tal, está prevista a construção de um parque eólico de 4,2 Megawatt (MW), com uma produção anual estimada de 9.232 Megawatt-hora (MWh). De acordo com o memorando, “este projeto, que resulta de união de esforços entre as empresas e o Município de Viana do Castelo, permitirá uma forte redução da fatura energética das empresas, superior a 25%, com um forte contributo para a descarbonização e para a sustentabilidade da região”.
O governante indicou ainda que a revisão da legislação do setor energético, prestes a ser concluída, prevê a criação de três zonas livres tecnológicas, sendo que Viana do Castelo será consagrada com uma zona livre para as offshore e as energias oceânicas. Segundo João Galamba, a criação de uma Zona Livre Tecnológica em Viana do Castelo visa ir “além de projetos à escala industrial e ter também projetos-piloto, ser uma zona de testes, inovação, um laboratório vivo para energias oceânicas”.
O Presidente da Câmara Municipal, José Maria Costa, referiu que “Portugal está na liderança no que toca a projetos de energia renovável e à produção de energias renováveis”, esperando que esta CER seja “a primeira de muitas” a serem instaladas nas áreas industriais do concelho.
A assinatura deste documento entre a Câmara Municipal de Viana do Castelo, as empresas da Zona Industrial do Neiva e a Martifer Renewables marca o início da primeira Comunidade de Energia Renovável da região do Alto Minho e é o resultado de um forte compromisso de todas as entidades envolvidas com a sustentabilidade da região.
Esta comunidade vai permitir a auto-produção e o auto-consumo de energias renováveis para as empresas aderentes, reduzindo os custos energéticos das mesmas, aumentando a competitividade e também a produção de energias renováveis através de sistemas eólicos ou fotovoltaicos.
De acordo com o memorando, as partes declaram reciprocamente os respetivos interesses e o seu empenho na prossecução de objetivos comuns que passam por propor, avaliar e discutir e decidir as possibilidades técnicas, económicas e legais tendentes à constituição entre si de uma CER a instalar na Zona Industrial de Neiva ou dela suficientemente próximo, em Viana do Castelo, de fonte eólica e com utilização da rede elétrica de serviço público, bem como o papel e a participação de cada uma das partes enquanto membro da dita CER.
No Parque Empresarial de Lanheses está também a ser constituída uma segunda Comunidade de Energias Renováveis com o mesmo objetivo e envolvendo as empresas Borgwarner, Steep Plastique, Recial, Equinovento e Eurostyle Systems Portugal.
Recorde-se que Viana do Castelo tem acolhido, nos últimos anos, entidades e empresas interessadas no desenvolvimento de projetos inovadores no domínio das energias renováveis oceânicas e também na robótica marinha, promovendo um Cluster das Energias Renováveis Oceânicas que pretende criar mais valor à região.

Deixa o teu comentário

Usamos cookies para melhorar a experiência de navegação no nosso website. Ao continuar está a aceitar a política de cookies.

Registe-se ou faça login

Com a sessão iniciada poderá fazer download do jornal e poderá escolher a frequência com que recebe a nossa newsletter.




A 1ª página é sua personalize-a

Escolha as categorias que farão parte da sua página inicial.

Continuará a ver as manchetes com maior destaque.

Bem-vindo ao Correio do Minho
Permita anúncios no nosso website

Parece que está a utilizar um bloqueador de anúncios.
Utilizamos a publicidade para ajudar a financiar o nosso website.

Permitir anúncios na Antena Minho