Correio do Minho

Braga,

- +
Combate à violência doméstica chega ao Parlamento pela voz dos jovens
ATAHCA espera reforço de dotação financeira

Combate à violência doméstica chega ao Parlamento pela voz dos jovens

Entrada na liga deixa a desejar

Combate à violência doméstica chega ao Parlamento pela voz dos jovens

Braga

2020-01-21 às 06h00

Isabel Vilhena Isabel Vilhena

Incentivar o interesse dos jovens pela participação cívica e política é uma das ‘missões’ do Parlamento dos Jovens. O deputado Hugo Pires participou ontem numa sessão escolar que decorreu na Escola Sá de Miranda, no âmbito desta iniciativa.

“A violência doméstica é um crime público e deve ser denunciado”, alertou ontem o deputado do Partido Socialista na Assembleia da República, Hugo Pires, perante uma plateia repleta de alunos de 10.º e 11.º anos que se encontrava no Teatro da Escola Sá de Miranda.
Uma sessão decorreu no âmbito da iniciativa ‘Parlamento dos Jovens’ que este ano tem como tema central do debate ‘Violência doméstica e no namoro: como garantir o respeito e a igualdade?’
Para Hugo Pires é preciso sensibilizar estes jovens de que “a violência, o insulto, a agressão não é uma coisa normal. O amor não é isso!” e perante uma situação de violência, o deputado alertou que “as pessoas não têm que ter vergonha de denunciar um amigo ou familiar”.

Segundo o deputado, “a violência doméstica e no namoro ganha novos contornos, não é só a violência física e sexual. Hoje as novas tecnologias também têm o lado perverso. Hoje assistimos a bullying, maus tratos, ameaças que se fazem a partir destes novos meios de comunicação”, advertiu.
Para José Augusto Ribeiro, professor de filosofia na Escola Sá de Miranda, é importante discutir estes temas actuais como o da violência doméstica com os jovens no sentido de os sensibilizar para os sinais de alerta. “Estes jovens têm que ser fortemente sensibilizados e não é com palestras. Há outras abordagens que algumas escolas já adoptaram como meditação com os alunos para habituá-los a parar, pensar e serem menos reactivos e mais respeitadores”, afirmou o professor de filosofia.

O deputado socialista falou também do funcionamento da Assembleia da República e mostrou-se preocupado com o afastamento dos jovens da vida política. “Fico muito preocupado com o afastamento e até com o desprezo que, muitas vezes, as gerações mais novas olham para a política. E o que está em causa aqui é a própria democracia!”, lamentou Hugo Pires, deixando um apelo à participação dos jovens na vida cívica e política.
José Augusto Ribeiro sublinhou a importância deste programa que visa “educar para a cidadania, valorizando o contributo dos jovens para a resolução de questões que afectem o seu presente o o seu futuro, fazendo ouvir a sua voz junto dos órgão de poder político”.

O programa Parlamento dos Jovens é uma iniciativa da Assembleia da República, dirigida a todos os jovens dos 2.º e 3.º ciclos do ensino básico e do ensino secundário, que culmina com a realização anual de duas sessões nacionais na Assembleia da República que decorrerão a 25 e 26 de Maio.

Deixa o teu comentário

Usamos cookies para melhorar a experiência de navegação no nosso website. Ao continuar está a aceitar a política de cookies.

Registe-se ou faça login

Com a sessão iniciada poderá fazer download do jornal e poderá escolher a frequência com que recebe a nossa newsletter.




A 1ª página é sua personalize-a

Escolha as categorias que farão parte da sua página inicial.

Continuará a ver as manchetes com maior destaque.

Bem-vindo ao Correio do Minho
Permita anúncios no nosso website

Parece que está a utilizar um bloqueador de anúncios.
Utilizamos a publicidade para ajudar a financiar o nosso website.

Permitir anúncios na Antena Minho