Correio do Minho

Braga, quinta-feira

- +
Câmara Municipal de Viana do Castelo transfere 725 mil euros para limpeza urbana
Famalicão: Injex pioneira no lançamento de óculos de proteção individual

Câmara Municipal de Viana do Castelo transfere 725 mil euros para limpeza urbana

FPF cria fundo para apoiar clubes que tiveram as provas suspensas

Câmara Municipal de Viana do Castelo transfere 725 mil euros para limpeza urbana

Alto Minho

2021-01-22 às 06h00

Redacção Redacção

Veração vianense aprovou ontem um protocolo de cooperação financeira com os Serviços Municipalizados para garantir a higiene e limpeza urbana no concelho.

A Câmara Municipal de Viana do Castelo vai transferir este ano para os Serviços Municipalizados 725 mil euros como compensação pela prestação de serviços de higiene urbana. O protocolo de colaboração financeira entre as duas entidades foi ontem aprovado em reunião de Câmara, com os votos favoráveis da maioria socialista e do PSD e a abstenção da CDU.
O vice-presidente da Câmara Municipal de Viana do Castelo e administrador dos Serviços Municipalizados de Viana do Castelo (SMVC), Vítor Lemos, justificou a decisão com as orientações da Entidade Reguladora dos Serviços de Águas e Resíduos (ERSAR) que impedem que os serviços de higiene urbana sejam financiados através do tarifário da recolha de resíduos sólidos urbanos, principal fonte de rendimento dos SMVC desde que o abastecimento de água e de saneamento foi entregue à empresa ‘Águas do Alto Minho’.

O presidente da Câmara Municipal, José Maria Costa, explicou que “com a saída do abastecimento de águas e saneamento” dos SMVC, a tarifa de resíduos sólidos só pode custear a recolha e o transporte dos mesmos para aterro sanitário.
Os 725 mil euros que a Câmara Municipal vai transferir em prestações mensais para os SMVC correspondem “ao levantamento dos custos das tarefas de higiene pública”, que incluem a limpeza do recinto da feira semanal e de zonas industriais, bem como a desobstrução de linhas de água, encargos que o executivo municipal entendeu não repercutir nos consumidores.
“Há municípios que taxam a higiene urbana, nós não”, declarou o presidente da Câmara Municipal, garantindo que a autarquia tem condições para acomodar esse custo no seu orçamento.
A vereadora comunista Cláudia Marinho considerou a transferência de 725 mil euros para os SMVC necessária porque esta entidade perdeu a receitas do serviço de água e saneamento para a ‘Águas do Alto Minho’.
A eleita da CDU só não votou contra a compensação financeira para não pôr em causa a situação dos trabalhadores dos SMVC.

Deixa o teu comentário

Usamos cookies para melhorar a experiência de navegação no nosso website. Ao continuar está a aceitar a política de cookies.

Registe-se ou faça login

Com a sessão iniciada poderá fazer download do jornal e poderá escolher a frequência com que recebe a nossa newsletter.




A 1ª página é sua personalize-a

Escolha as categorias que farão parte da sua página inicial.

Continuará a ver as manchetes com maior destaque.

Bem-vindo ao Correio do Minho
Permita anúncios no nosso website

Parece que está a utilizar um bloqueador de anúncios.
Utilizamos a publicidade para ajudar a financiar o nosso website.

Permitir anúncios na Antena Minho