Correio do Minho

Braga, sábado

- +
Câmara de Vila Verde aprova orçamento superior a 42,9 milhões
Técnicos do Município já realizaram 3500 chamadas de rastreamento

Câmara de Vila Verde aprova orçamento superior a 42,9 milhões

Mais de cinco mil eleitores votam amanhã no Altice Forum Braga

Câmara de Vila Verde aprova  orçamento superior a 42,9 milhões

Cávado

2020-11-27 às 11h00

Redacção Redacção

A caâmara de Vila Verde, liderada por António Vilela, acaba de aprovar o Orçamento para 2021 cujo valor supera os 42,9 milhões de euros, defininindo as ‘grandes opções’ de investimento futuro.

A Variante a Oleiros, o Eixo Periférico Gême - Soutelo, alargamento e criação de zonas de acolhimento empresarial, requalifi- cação dos centros de Saúde de Pico de Regalados e de Cervães, alargamento da rede de água e saneamento e a criação do Parque Urbano de Vila Verde e da Vila de Prado são projectos que constam da lista das Grandes Opções 2021-2025 para Vila Verde. A Câmara Municipal aprovou o orçamento para 2021, cujo valor supera os 42,9 milhões de euros e o presidente da autarquia, António Vilela, diz que se trata de “planear o futuro do concelho, com responsabilidade social, rigor financeiro e melhoria da qualidade de vida”.
Com os olhos postos num território mais atractivo para as pessoas e para as empresas, com consciência social e com apostas em mais e melhores infraestruturas e equipamentos que aumentem a qualidade de vida da população, o presidente da Câmara de Vila Verde diz que este é documento estratégico “mais avultado de que há memória para o concelho de Vila Verde ir de encontro aos anseios da nossa população e é fruto de um importante trabalho de auscultação das juntas de freguesia, instituições, do sector empresarial e da nossa população”.
“Este é um documento realista que define a estratégia de crescimento para os próximos anos do nosso concelho”, afirmou o autarca, apontando para o seguimento de “uma política fiscal responsável e simultaneamente amiga das pessoas e das empresas”.
“Em 2021 o IMI mantém-se no nível mais baixo de 0,3%, sendo reduzido para as famílias com dois ou mais filhos; são garantidas isenções de taxas urbanísticas para construção de habitação para as famílias carenciadas e para os jovens até 35 anos; mantêm-se os apoios ao investimento com isenções das taxas ur- banísticas aplicáveis aos empreendimentos turísticos, agropecuários, florestais e industriais; as pequenas empresas são isentas do pagamento de derrama; será aplicado um novo regulamento para atribuir benefícios fiscais em sede de IMI, de IMT e de derrama a todos os investimentos que contribuam para a criação de novos postos de trabalho; as instituições e associações veem reconhecido o seu relevante papel social benefi- ciando genericamente de isenções de taxas municipais; mantêm-se as isenções e o tarifário social no âmbito das tarifas da água e do saneamento básico para as famílias numerosas e mais carenciadas”.

Deixa o teu comentário

Usamos cookies para melhorar a experiência de navegação no nosso website. Ao continuar está a aceitar a política de cookies.

Registe-se ou faça login

Com a sessão iniciada poderá fazer download do jornal e poderá escolher a frequência com que recebe a nossa newsletter.




A 1ª página é sua personalize-a

Escolha as categorias que farão parte da sua página inicial.

Continuará a ver as manchetes com maior destaque.

Bem-vindo ao Correio do Minho
Permita anúncios no nosso website

Parece que está a utilizar um bloqueador de anúncios.
Utilizamos a publicidade para ajudar a financiar o nosso website.

Permitir anúncios na Antena Minho