Correio do Minho

Braga, quarta-feira

Câmara de Braga cede terreno ao SC Braga por 75 anos para pavilhão Multiusos
Todos à espera do Bolo-Rei de Frutos Secos da Pastelaria Maximinense

Câmara de Braga cede terreno ao SC Braga por 75 anos para pavilhão Multiusos

Campanha ‘Embrulhe, por favor!’ quer reduzir desperdício alimentar

Desporto

2018-09-19 às 06h00

Joana Russo Belo

Município vai ceder ao SC Braga o direito de superfície das inacabadas piscinas olímpicas. Pela cedência, vai receber do clube 400 mil euros e o acesso público a um circuito de manutenção. Proposta vai ser analisada e discutida hoje em reunião do executivo.

É oficial. O Município de Braga vai ceder ao SC Braga o direito de superfície das inacabadas piscinas olímpicas, por um prazo de 75 anos, para a construção do Pavilhão Multiusos que faz parte do projecto da Cidade Desportiva. Pela cedência, e de acordo com informações avançadas pela autarquia, vai receber do clube arsenalista 400 mil euros e, entre outras contrapartidas, o acesso público a um circuito de manutenção.
A proposta - que permite, assim, arrancar com a segunda fase da Cidade Desportiva do SC Braga - vai ser hoje analisada e discutida na reunião do executivo municipal.
Do acordo, consta que o município “poderá utilizar, gratuitamente, o pavilhão multiusos que o SC Braga edificará no terreno duas vezes por ano para actividades próprias, em datas a acordar e que não colidam com as actividades do clube”, explica a autarquia.

Segundo a proposta, o SC Braga “obriga-se ainda a criar um circuito de manutenção na envolvente dos campos de futebol, que permita a realização de actividade física, de acesso público e livre”.
“Esta intervenção vai no sentido de valorizar a área envolvente ao Estádio Municipal de Braga, numa perspectiva de construção de uma nova centralidade urbana”, reforça o município, dando conta de que, “tendo em consideração a importância do projecto para o concelho”, a autarquia isentará o clube, “no enquadramento permitido pela lei e regulamentos municipais, do pagamento de taxas e outros encargos relacionados com as construções objecto do presente contrato”.

Após a deliberação do executivo municipal sobre a proposta, a mesma será submetida a deliberação da Assembleia Municipal.
Recorde-se que, a primeira fase da obra já concluída, integra na Cidade Desportiva um centro de formação, assim como cinco relvados, três naturais e dois sintéticos, um campo de futebol de sete e um para o futebol de praia, aos quais se somam aos dois campos relvados de treino já existentes.

Quanto à segunda fase, para além do Pavilhão Multiusos - que terá capacidade para 1.250 lugares - será edificado um mini-estádio para os jogos oficiais das equipas B e feminina do SC Braga, que terá uma bancada coberta com 2.800 lugares.
Junto ao pavilhão multiusos ficará instalada uma área administrativa, a loja do clube e serviços de apoio aos sócios, uma área residencial com 60 quartos duplos, área de refeitório e de descanso /lazer e ainda um espaço de apoio às equipas profissionais, que integra balneários, ginásio, fisioterapia, hidroterapia com piscina e gabinetes de trabalho.

Projecto concluído na totalidade durante o ano de 2020

Foi através de um comunicado que o SC Braga mostrou o contentamento pelo acordo com o município e resolução do impasse dos últimos meses. Clube lembra que o projecto da Cidade Desportiva é de Interesse Nacional (PIN), conforme consta em Diário da República, aliás, “este é o único projecto desportivo nacional com tal classificação, o que é elucidativo da sua relevância”, acrescenta o documento.
O SC Braga recorda que a “indefinição gerada” em todo o processo causou “um atraso significativo no projecto”, no entanto, deixou a garantia: “é compromisso desta direcção que o mesmo se encontre concluído durante o ano de 2020, contemplando todas as suas valências: Pavilhão Multiusos, Mini-estádio, Área Residencial, Zona Administrativa, Loja, Atendimento ao Associado, Museu e demais espaços de lazer”.

A Cidade Desportiva - “marca reconhecida e elogiada à escala global”, fruto do sucesso do Centro de Formação já em funcionamento - “é um projecto simbólico do SC Braga do futuro” e que, segundo os dirigentes bracarenses, “estará completa antes do centenário do clube”.
No comunicado, a direcção arsenalista valoriza ainda “a confiança que os associados depositaram” para a consecução deste projecto, entendendo “que o acordo agora alcançado é o que melhor serve os proprietários e beneficiários, que são os sócios e os adeptos do SC Braga”.

Deixa o teu comentário

Usamos cookies para melhorar a experiência de navegação no nosso website. Ao continuar está a aceitar a política de cookies.

Registe-se ou faça login

Com a sessão iniciada poderá fazer download do jornal e poderá escolher a frequência com que recebe a nossa newsletter.




A 1ª página é sua personalize-a

Escolha as categorias que farão parte da sua página inicial.

Continuará a ver as manchetes com maior destaque.