Correio do Minho

Braga, sábado

- +
Chuva ‘abrandou’ os treinos na Falperra
Cursos IPCA: ‘Enter the Void’ de regresso

Chuva ‘abrandou’ os treinos na Falperra

Escolas de Braga trabalham participação democrática e cidadania activa

Chuva ‘abrandou’ os treinos na Falperra

Desporto

2024-05-19 às 06h00

Fábio Moreira Fábio Moreira

O rugir dos motores fez-se sentir na Rampa Internacional da Falperra, mas sem a intensidade que gostaríamos. A chuva e o nevoeiro que se fizeram sentir limitaram o espectáculo e os pilotos não tiveram as condições ideais para terem uma boa corrida.

Citação

A 43.ª Rampa Internacional da Falperra, 4.ª prova do Campeonato de Portugal de Montanha e 3.ª do Campeonato Europeu de Montanha arrancou ontem com um dia marcado pela chuva intensa e teimosa que se fez sentir até meio da tarde.
Numa manhã com chuva e nevoeiro, não estavam reunidas as melhores condições para os pilotos brilharem no traçado bracarense. A falta de aderência e visibilidade para os automobilistas era notória e foi provada por vários acidentes logo no warm-up do Campeonato de Portugal de Montanha.
Estes acidentes levaram a um longo atraso, que acabou por se tornar ainda mais extenso, devido a um derrame de óleo no traçado da Rampa Internacional que, segundo um comissário de pista, afectou cerca de metade do percurso no final da primeira subida de treinos do Campeonato de Portugal de Montanha e do Campeonato da Europa de Montanha.
Fruto destes contratempos, a organização do evento viu-se obrigada a cancelar as restantes duas subidas de treinos previstas para ontem, saltando a programação para a primeira subida oficial do Campeonato de Portugal de Montanha.
Contudo, nem esta subida oficial (que já foi bafejada por condições metereológicas mais simpáticas para o desporto automó- vel) decorreu sem contratempos. Após a largada de 33 pilotos, a primeira subida oficial acabou por ser interrompida por ter sido accionado o INEM para assistência para uma das pessoas presentes no público.
Com o avançar da tarde, São Pedro começou a premiar a resiliência do público com um céu limpo, permitindo a que os pilotos pudessem, de facto, dar espectáculo na Rampa Internacional da Falperra.
Miguel Matos, Luís Barros, Rui Costa, Hugo Oliveira e Armando Freitas foram os mais rápidos na Taça de Portugal de Monolugares, Campeonato de Legends, Clássicos, Rampa Regional e Portugal Montanha 1300, respectivamente.
Por sua vez, nas contas do Campeonato Portugal Montanha Absoluto, José Correia, que bateu com a asa dianteira, complicou a sua missão de assumir a liderança da prova. Já na categoria ‘GT’, Carlos Vieira foi o mais veloz.
Note-se ainda que, no último treino do Campeonato Europeu de Montanha, Joseba Iraola Lanzagorta assumiu a liderança que pertencera, no primeiro treino, ao belga Corentin Starck, com o ‘rei’ Merli a ficar em 3.º lugar.

Deixa o teu comentário

Usamos cookies para melhorar a experiência de navegação no nosso website. Ao continuar está a aceitar a política de cookies.

Registe-se ou faça login Seta perfil

Com a sessão iniciada poderá fazer download do jornal e poderá escolher a frequência com que recebe a nossa newsletter.




A 1ª página é sua personalize-a Seta menu

Escolha as categorias que farão parte da sua página inicial.

Continuará a ver as manchetes com maior destaque.

Bem-vindo ao Correio do Minho
Permita anúncios no nosso website

Parece que está a utilizar um bloqueador de anúncios.
Utilizamos a publicidade para ajudar a financiar o nosso website.

Permitir anúncios na Antena Minho