Correio do Minho

Braga, segunda-feira

Chefs erguem bandeira da cozinha tradicional
Cento e seis mil pessoas visitaram Presépio ao Vivo de Priscos

Chefs erguem bandeira da cozinha tradicional

Maria da Fonte vence Cabreiros com um grande golo de Henrique

Cávado

2017-02-14 às 12h35

Isabel Vilhena

“Não podemos deixar morrer a nossa gastronomia, sob pena de perdermos a nossa portugalidade e originalidade”. O apelo deixado ontem, em Barcelos, pelo Chef de cozinha, Hernani Ermida, à margem do I Fórum de Restauração, promovido pelo polo de Barcelos da Escola Profissional Profitecla que decorreu no auditório da câmara municipal.

“Não podemos deixar morrer a nossa gastronomia, sob pena de perdermos a nossa portugalidade e originalidade”. O apelo deixado ontem, em Barcelos, pelo Chef de cozinha, Hernani Ermida, à margem do I Fórum de Restauração, promovido pelo polo de Barcelos da Escola Profissional Profitecla que decorreu no auditório da câmara municipal.

“Não podemos deixar que nenhum profissional, seja nacional ou estrangeiro, venha castrar os nossos hábitos alimentares. Enquanto defensor da cozinha tradicional portuguesa não me posso calar. Não posso admitir que um profissional apresente um prato tradicional português de um modo irreconhecível. Isso não pode acontecer. Os nossos produtos são únicos”, frisou Hernani Ermida, realçando a riqueza gastronómica da Região d’Entre Douro e Minho que começa agora a descobrir.

“É nestas regiões onde está a base e origem da cozinha tradicional portuguesa, não é nos centros centros urbanos como Porto ou Lisboa. Esta zona é riquíssima. É daqui que partem os grandes profissionais. Encontro em todo o mundo grandes chefes que na maioria são todos minhotos”.

Inspirado na sua história de visa, o Chef Hernani Ermida deixou aos jovens aspirantes a chefs e profissionais de mesa e bar uma mensagem de esperança, mas de muita resiliência porque “esta é uma profissão dura, de muita entrega e sacrifício. Os primeiros tempos não são fáceis, se são apaixonados pela cozinha, pelas mesas ou pelo bar devem ser persistentes, humildes e estarem atentos às oportunidades”. Uma opinião partilhada pelo Chef José Vinagre que defende os valores da humildade no longo caminho que têm pela frente.

O curso de restauração está presente nos nove pólos da Escola Profissional Profitecla e a taxa de empregabilidade situa-se nos 80 por cento.

Deixa o teu comentário

Usamos cookies para melhorar a experiência de navegação no nosso website. Ao continuar está a aceitar a política de cookies.

Registe-se ou faça login

Com a sessão iniciada poderá fazer download do jornal e poderá escolher a frequência com que recebe a nossa newsletter.




A 1ª página é sua personalize-a

Escolha as categorias que farão parte da sua página inicial.

Continuará a ver as manchetes com maior destaque.