Correio do Minho

Braga, sexta-feira

- +
Cerveira: Programação da Fundação da Bienal arranca com exposições
Detido por violência doméstica e posse de armas

Cerveira: Programação da Fundação da Bienal arranca com exposições

Guerreiros do Minho caem de pé na Europa

Cerveira: Programação da Fundação  da Bienal arranca com exposições

Alto Minho

2020-01-18 às 09h00

Redacção Redacção

Mais de uma centena de obras compõem as três exposições de pintura que são inauguradas esta tarde e que iniciam o plano de actividades da Fundação da Bienal de Arte de Cerveira para 2020.

Mais de uma centena de obras compõem as três exposições de pintura a inaugurar hoje, em Vila Nova de Cerveira, e que iniciam o plano de actividades da Fundação da Bienal de Arte de Cerveira (FBAC) para 2020.
Em causa estão as exposições ‘Ilha dos Imortais’, de Tereza Trigalhos, ‘Global Make-Up Program’, de Zoran, e ‘Confrontos’, dos alunos da Associação Portuguesa de Pais e Amigos do Cidadão Deficiente Mental (APPACDM), delegação de Ponte de Lima.
“Em termos das artes plásticas destaco as obras de Tereza Trigalhos e Zoran, até pelos seus currículos, mas é também muito importante para a FBAC a mostra dos trabalhos dos alunos da APPACDM, por resultar do trabalho do nosso serviço educativo”, afirmou à Lusa o director artístico da fundação, Cabral Pinto.
As exposições ‘’Ilha dos Imortais’, ‘Global Make-Up Program’ e ‘Confrontos’ vão ser inauguradas, às 16 horas, no Museu Bienal de Cerveira, com a presença dos artistas representados.
Para Tereza Trigalhos, citada num comunicado enviado à imprensa, o objectivo da sua mostra consiste em “perpetuar a liberdade através de um apelo a que os seres se tornem livres e que não fiquem agarrados àquilo que nos querem impor”.
Já a mostra de Zoran, segundo o director coordenador do MAC - Movimento Arte Contemporânea e Ensino, Álvaro Lobato de Faria, representa “um entendimento globalmente vivido e vivenciado por cada um de nós quotidianamente, em que cada indivíduo é, talvez, o seu único passivo, acrítico e impudico espectador”.
A exposição ‘Confrontos’ dos alunos da APPACDM “debruça-se sobre os confrontos vividos por diversos autores, sejam individuais, únicos e irrepetíveis, onde as intenções rumam à construção de projectos de vida e nos transportam para novos mundos, recorrendo à pintura, à cerâmica e diversas técnicas mistas”.
O plano de actividades da FBAC para 2020, adiantou Cabral Pinto, prevê ainda, na primavera, a exposição 220 Edições de Arte: Acção e Luz2, de Silvestre Pestana e, entre 10 de Julho a 13 de Setembro, a XXI Bienal de Vila Nova de Cerveira, com o tema ‘Diversidade - Investigação. O Complexo Espaço da Comunicação pela Arte’.
A mostra ‘Mulheres Artistas na colecção da FBAC’, que retratará “o acervo e a intervenção das mulheres na pintura e nas artes”, e a exposição ‘De outro Modo’, de três artistas do Porto (Sobral Centeno, Vasco Coutinho e Manuel Porfírio), completam a programação de 2020.

Deixa o teu comentário

Usamos cookies para melhorar a experiência de navegação no nosso website. Ao continuar está a aceitar a política de cookies.

Registe-se ou faça login

Com a sessão iniciada poderá fazer download do jornal e poderá escolher a frequência com que recebe a nossa newsletter.




A 1ª página é sua personalize-a

Escolha as categorias que farão parte da sua página inicial.

Continuará a ver as manchetes com maior destaque.