Correio do Minho

Braga, sexta-feira

Cerveira atrai investimento de 7ME de uma fábrica de transformação de pescado para o Fulão
Alunas de Fafe na Final do Concurso Nacional de Leitura

Cerveira atrai investimento de 7ME de uma fábrica de transformação de pescado para o Fulão

Roger Bastos é o novo treinador do Porto d'Ave

Alto Minho

2018-04-18 às 23h30

Redacção

Está prevista para julho a entrada em funcionamento de uma nova umidade fábril de transformação de pescado a instalar-se no Parque Empresarial do Fulão, em Vila Nova de Cerveira, criando mais de 200 postos de trabalho, num investimento de 6,8 milhões de euros. Os parceiros da Central Lomera Portuguesa - Marfrio e Atunlo – apresentaram, esta manhã, nas instalações da Câmara Municipal, “um projeto ambicioso e atrativo, num território que oferece excelentes condições”. Processo de recrutamento de mão-de-obra arranca no imediato.

Duas das mais importantes empresas da Galiza na área da transformação de pescado - Marfrio e Atunlo – uniram vontades e interesses para construir, em Vila Nova de Cerveira, uma nova unidade industrial de 4.500m2, com capacidade para produzir até 20 mil toneladas de atum por ano para Portugal, Norte de Espanha, França e Itália.
O arranque da Central Lomera Portuguesa será progressivo, recrutando no imediato 50 trabalhadores para estar a funcionar em pleno dentro de um ano, com mais de 200 postos de trabalho. A faturação anual prevista é de 35 milhões de euros na fase inicial, perspetivando-se um crescimento para os 50 milhões de euros após o primeiro ano de laboração.
Esta é a primeira unidade fabril a instalar-se no Parque Empresarial do Fulão, fruto de um protocolo de cooperação que o Município de Vila Nova de Cerveira estabeleceu, em 2016, com o Grupo Gradin - entidade proprietária - para agilizar a promoção e flexibilização dos cerca de 40 hectares disponíveis.
“Estamos convencidos de que será mais uma unidade de excelência no setor da transformação de produtos de pesca, constituindo-se como uma mais valia para Vila Nova de Cerveira, para a economia regional e nacional”, disse o presidente da Câmara Municipal, Fernando Nogueira, acrescentando que, “apesar de pequeno, Vila Nova de Cerveira é um dos grandes municípios com atividade empresarial, e esta confiança e interesse de empresas na vanguarda tecnológica e de inovação é a consolidação de um trajeto iniciado por este executivo, em prol da valorização do Parque Empresarial do Fulão”.
Durante a sessão de apresentação desta manhã, Laura Pernas, Diretora do Departamento dos Recursos Humanos da Atunlo, realçou “um projeto ambicioso e atrativo, num território que oferece excelentes condições”. “Estamos muito satisfeitos com esta aventura em Portugal, pois temos a experiência dos nossos sócios do Grupo Marfrio, a proximidade ao Porto e a Vigo, os armazéns de refrigeração aqui ao lado que conferem uma maior capacidade aos nossos clientes, e todos estes fatores são estratégicos para o nosso desenvolvimento profissional.”
Com mais de 20 anos de laboração no polo II da Zona Industrial de Vila Nova de Cerveira, o administrador do Grupo Marfrio, Santiago Montejo, enalteceu os fatores de atratividade oferecidos pelo território: “Solo industrial urbanizado, boas acessibilidades, condições administrativas excelentes suscitam o interesse de uma indústria moderna, responsável, experiente e séria”.
Resultado ainda do protocolo de cooperação formalizado entre o Município cerveirense e o Grupo Gradin, o Parque Empresarial do Fulão vai acolher, brevemente, uma segunda unidade fabril, na área dos produtos de veterinária.

Deixa o teu comentário

Usamos cookies para melhorar a experiência de navegação no nosso website. Ao continuar está a aceitar a política de cookies.

Registe-se ou faça login

Com a sessão iniciada poderá fazer download do jornal e poderá escolher a frequência com que recebe a nossa newsletter.




A 1ª página é sua personalize-a

Escolha as categorias que farão parte da sua página inicial.

Continuará a ver as manchetes com maior destaque.