Correio do Minho

Braga, sábado

- +
Centro Paroquial e unidades de saúde promovem coesão territorial
PS quer aproveitar edifícios públicos fechados para criar novas creches

Centro Paroquial e unidades de saúde promovem coesão territorial

Exposição ‘O Amor Mata’ alerta para a violência doméstica

Centro Paroquial e unidades de saúde promovem coesão territorial

Cávado

2021-06-23 às 06h00

Miguel Viana Miguel Viana

Ministra da Coesão Territorial e presidente da Câmara inauguraram o Centro Paroquial de Covas e a Unidade de Saúde da Portela do Vade. Foi lançada a primeira pedra da Unidade de Saúde do Pico.

A ministra da Coesaã Territorial, Ana Abrunhosa, e o presidente da Câmara Municipal de Vila Verde, António Vilela, inauguraram ontem o Centro Social da Paróquia de Covas e a Unidade de Saúde do Vade, na Portela do Vade. Foi, ainda, lançada a primeira pedra da remodelação da Unidade de Saúde do Pico de Regalados e inaugurado o Espaço Cidadão da União de Freguesias de Pico de Regalados, Gondiães e Mós
O Centro Social da Paróquia de Covas, a funcionar na antiga escola da freguesia, custou cerca de 450 mil euros e pretende servir a população da zona Norte do concelho de Vila Verde na prestação de cuidados sociais, incluindo o apoio domiciliário.
O Centro de Saúde do Vade está em funcionamento há cerca de seis meses e implicou um investimento de cerca de 300 mil euros.
A obra de remodelação da Unidade de Saúde do Pico de Re- galados deve começar em bre- ve e significa um investimento de aproximadamente 730 mil euros.
Todos estes espaços,alegou o autarca de Vila Verde, estão a contribuir para a coesão territorial. “Com estes equipamentos estamos a promover a coesão territorial do concelho. Temos de aproximar serviços das pessoas e é o que estamos a fazer”, disse António Vilela. O autarca frisou que o município tem feito muitos investimentos em diversas áreas e equipamentos e lamentou que os municípios pequenos não tenham sido contemplados pelos planos de recuperação pós-pandemia. “O nosso desafio é encontrar algo que seja para os municípios de baixa densidade. Ainda não encontrei nada que servisse a Vila Verde”, disse António Vilela.
O autarca pediu também à ministra que seja possivel fazer alterações aos instrumentos de gestão do território, como os planos directores municipais, de forma a ser possivel a atracção de mais investimentos.
A ministra da Coesão Territorial, Ana Abrunhosa, respondeu que “o plano de Recuperação e Resiliência tem 16 mil milhões de euros para os municípios” e que no âmbito do programa de apoio ‘Portugal 2030’ ainda há “24 milhões de euros disponíveis e grande parte será para este tipo de projectos. O Portugal 2020 ainda tem verbas para projectos a serem executados até 2023”, lembrou a governante.

Deixa o teu comentário

Usamos cookies para melhorar a experiência de navegação no nosso website. Ao continuar está a aceitar a política de cookies.

Registe-se ou faça login

Com a sessão iniciada poderá fazer download do jornal e poderá escolher a frequência com que recebe a nossa newsletter.




A 1ª página é sua personalize-a

Escolha as categorias que farão parte da sua página inicial.

Continuará a ver as manchetes com maior destaque.

Bem-vindo ao Correio do Minho
Permita anúncios no nosso website

Parece que está a utilizar um bloqueador de anúncios.
Utilizamos a publicidade para ajudar a financiar o nosso website.

Permitir anúncios na Antena Minho