Correio do Minho

Braga, terça-feira

- +
CDU insiste na remunicipalização da Agere
Director-geral da OMS congratula-se com melhoria da saúde das pessoas em 2023

CDU insiste na remunicipalização da Agere

GNR fiscalizou cerca de 1,9 milhões de pessoas nas fronteiras marítimas em seis meses

CDU insiste na remunicipalização da Agere

Braga

2023-03-29 às 06h00

Marlene Cerqueira Marlene Cerqueira

CDU pede à maioria que governa o Município para que “retire definitivamente” a proposta de contrato de gestão delegada e que a Câmara dê início ao processo de avaliação para a remunicipalização integral da Agere. Se assim não for, a CDU votará contra.

Citação

A CDU anunciou ontem que vai solicitar à Coligação ‘Juntos por Braga’ a retirada definitiva da proposta do contrato de gestão delegada entre a Câmara Municipal e a Agere. Caso a maioria liderada por Ricardo Rio decida manter o ponto em agenda, o voto de Bárbara Barros será contra.
“A CDU reclama que a coligação municipal liderada pelo PSD retire definitivamente a proposta de contrato de gestão delegada e que a autarquia dê início a um processo de avaliação da municipalização integral da Agere, de forma a permitir uma melhor decisão sobre o futuro da empresa municipal”, anunciou ontem a vereadora da CDU, em conferência de imprensa.
Recorde-se que a proposta do contrato de gestão delegada foi já a reunião de Câmara, tendo sido retirada da agenda depois da Assembleia Municipal, em conferência de líderes, ter recusado incluir o ponto na ordem de trabalhos da sessão que se iria realizar dias depois.
Ficou assim estabelecido que o tema voltaria a ser analisado e votado pelo executivo municipal em Abril.
A agenda da reunião da próxima segunda-feira ainda não é conhecida, mas a CDU antecipou-se, divulgando o seu parecer sobre o contrato de gestão delegada proposto, considerando que “o documento protege e blinda os interesses privados”.
“Este documento não serve o futuro desta empresa municipal e de protecção do serviço público”, afirmou Bárbara Barros, realçando que “a única solução benéfica para a Agere, aquela que salvaguarda o interesse público, a qualidade e universalidade do serviço, é a municipalização integral”.
A vereadora criticou ainda o facto de a proposta de contrato de gestão delegada ter sido elaborada sem que as estruturas representativas dos trabalhadores tenham sido ouvidas, “o que é profundamente negativo”.
Já João Baptista, eleito da CDU na Assembleia Municipal, admitiu que depois de Ricardo Rio, no período de campanha eleitoral, ter manifestado publicamente concordância com a remunicipalização da Agere, pensou que a mesma iria avançar. A CDU reconhece a “coragem política” de Rio ter avançado com o resgate da concessão dos parquímetros, reclamando agora igual decisão perante a Agere.
“O importante é tomar a decisão”, acrescenta Bárbara Barros, lembrando que já levou uma proposta nesse sentido a reunião de Câmara, que acabou chumbada. “Se fosse tomada agora a decisão poderiam ser dados os passos necessários para que dentro de dois, três ou quatro anos a Agere fosse remunicipalizada. É preciso é tomar a decisão”, vincou.

Deixa o teu comentário

Banner publicidade

Usamos cookies para melhorar a experiência de navegação no nosso website. Ao continuar está a aceitar a política de cookies.

Registe-se ou faça login Seta perfil

Com a sessão iniciada poderá fazer download do jornal e poderá escolher a frequência com que recebe a nossa newsletter.




A 1ª página é sua personalize-a Seta menu

Escolha as categorias que farão parte da sua página inicial.

Continuará a ver as manchetes com maior destaque.

Bem-vindo ao Correio do Minho
Permita anúncios no nosso website

Parece que está a utilizar um bloqueador de anúncios.
Utilizamos a publicidade para ajudar a financiar o nosso website.

Permitir anúncios na Antena Minho