Correio do Minho

Braga, sexta-feira

- +
Casa do Conhecimento para promover “qualificação cidadã”
Enfermeiros de Braga exigem reconhecimento da prestação efetiva de trabalho na passagem de turno

Casa do Conhecimento para promover “qualificação cidadã”

Braga candidata Quinta Pedagógica e projeto BUILD a Prémio Internacional das Cidades Educadoras

Casa do Conhecimento para  promover “qualificação cidadã”

Ensino

2021-11-27 às 06h00

Rui Serapicos Rui Serapicos

No Largo do Paço, em Braga, foi inaugurado ontem o espaço físico de uma rede de casas do conhecimento através das quais a Universidade do Minho interage com autarquias.

Citação

“Esta rede tem características únicas no plano de qualificação de pessoas e de instituições, não só de qualificação académica mas também para a qualificação cidadã”, disse ontem o reitor.
Numa ala do Largo do Paço, em Braga, durante a primeira sessão de videoconferência após o corte da fita inaugural da Casa do Conhecimento da Universidade do Minho, Rui Vieira de Castro frisou que nos anos que antecederam a abertura daquele espaço físico a rede já funcionava e a ausência da infra-estrutura física “não impediu” que a ideia germinasse e seguisse o seu caminho — a ligação da academia aos territórios e às comunidades, tendo como “parceiros óbvios e naturais as autarquias”.

Por sua vez, Manuela Martins a vice-reitora, salientou já numa fase de debate “a liberdade” com que cada uma das diversas casas do conhecimento que integram o projecto pode agir na rede para “encontrar o seu caminho”, apontando como exemplos de possíveis de acção o digital, o patrimonial ou o artístico.
Antes, usaram da palavra, cada um em seu ponto do território, Júlia Fernandes, a presidente da Câmara Municipal de Vila Verde (primeira casa do conhecimento a aderir a esta rede em 2004), o presidente da Câmara Municipal de Paredes de Coura, que aderiu em 2010, Victor Paulo Pereira, o vice-presidente da Câmara de Boticas, que aderiu em 2012, Guilherme Pires, a vereadora da Câmara Municipal de Montalegre, a que aderiu em 2013, Fátima Fernandes, o vereador da Câmara de Valongo, Orlando Rodrigues que aderiu este ano, e ainda o professor da Universidade de Évora, Rui Quaresma.

Na sessão, moderada por José Gabriel, cada um dos autarcas elogiou na promoção deste projecto a acção inicial por impulso de Luis Amaral ( vice-reitor para a Transformação Organizacional e Simplificação Administrativa). Cada um vincou também méritos do trabalho concreto que tem sido já efectuado em rede, com mais profundo conhecimento e valorização do território em aspectos como o ambiente ou o património, ou em acções de qualificação de pessoal docente e não docente nas escolas.
Há mais autarquias em espera para entrarem na rede, revelou Manuela Martins.

Victor Paulo Pereira: “Seria burrice não aproveitar” e compromisso pró-activo dos autarcas

O presidente da Câmara Municipal de Paredes de Coura, Victor Paulo Pereira, usou na sua intervenção em videoconferência, por várias vezes, a expressão “seria burrice não aproveitar”, ao referir-se a oportunidade que (através da rede de casas de conhecimento as autarquias) têm de interagir com a Universidade do Minho. O?edil prometeu, no entanto, não se limitar a ficar à espera das acções da Universidade, e exortou os demais autarcas a uma atutude pro-activa.


Rede constituída há 10 anos

Unidade Cultural da UMinho, a Casa do Conhecimento constitui-se como uma ligação ao território, integrando, até ao presente, nove Casas do Conhecimento dos municípios de Vila Verde, Paredes de Coura, Vieira do Minho, Fafe, Boticas, Montalegre, Trofa, Ponte da Barca e Valongo. Criada há 10 anos, a Rede de Casas do Conhecimento (RCdC) tem como objectivo sensibilizar e envolver comunidades em participação, aprendizagem, criatividade e experimentação tecnológica, potenciando o desenvolvimento económico-social e o empreendedorismo de base local.
Está presente nos campi de Gualtar (Braga) e Azurém (Guimarães); Boticas; Fafe; Montalegre; Paredes de Coura; Trofa; Valongo; Vieira do Minho; Vila Verde; Ponte da Barca e, a título experimental, em Díli (Universidade Nacional de Timor-Leste), e mais recentemente na Universidade de Évora, com quem a UMinho tem vindo a desenvolver o projecto e-Civitas, que visa a expansão inter-regional da RCdC para a região do Alentejo.

Deixa o teu comentário

Banner publicidade

Usamos cookies para melhorar a experiência de navegação no nosso website. Ao continuar está a aceitar a política de cookies.

Registe-se ou faça login Seta perfil

Com a sessão iniciada poderá fazer download do jornal e poderá escolher a frequência com que recebe a nossa newsletter.




A 1ª página é sua personalize-a Seta menu

Escolha as categorias que farão parte da sua página inicial.

Continuará a ver as manchetes com maior destaque.

Bem-vindo ao Correio do Minho
Permita anúncios no nosso website

Parece que está a utilizar um bloqueador de anúncios.
Utilizamos a publicidade para ajudar a financiar o nosso website.

Permitir anúncios na Antena Minho