Correio do Minho

Braga, quarta-feira

- +
Casa da Alegria celebrou Dia Mundial da Doença de Alzheimer
Politécnico de Viana do Castelo lança campanha de crowdfunding

Casa da Alegria celebrou Dia Mundial da Doença de Alzheimer

Freguesias de Viana com estradas requalificadas em 2023

Casa da Alegria celebrou Dia  Mundial da Doença de Alzheimer

Cávado

2022-09-24 às 06h00

Redacção Redacção

Projecto Jardim Terapêutico e Sensorial desenvolvido na Casa da Alegria foi destacado na comemoração do Dia Mundial da Doença de Alzheimer.

Citação

A Casa da Alegria, instituição do Centro Social Vale do Homem (CSVH), comemorou o Dia Mundial da Doença de Alzheimer numa cerimónia que contou com uma dezena de instituições dos concelhos de Vila Verde, Amares, Terras de Bouro e Braga e juntou meia centena de utentes.
Jorge Pereira, presidente do CSVH, registou a “importância do Jardim Terapêutico e Sensorial e da participação no estudo desenvolvido pelo IPCA sobre o impacto desta terapêutica não farmacológica nos utentes”.
O CSVH tem o projecto Jardim Terapêutico e Sensorial, dotado de equipamentos e condições arquitectónicas com o objectivo de estimular os sentidos dos utentes. O projecto está aberto à comunidade e por ele já passaram mais de 200 utentes de instituições de Amares, Braga, Terras de Bouro e Vila Verde.
Sílvia Peixoto, directora técnica da Casa da Alegria, explicou que “as necessidades da pessoa com doença de Alzheimer variam ao longo dos dias” e, por isso, “é desafiante trabalhar com eles diariamente”.
Sandra Cerqueira, directora técnica adjunta, referiu que “trabalhar com pessoas com a doença de Alzheimer é um desafio constante” e explicou que “cada dia é um dia. Hoje eles reagem de uma forma, amanhã de outra complemente diferente”.
Na Casa da Alegria “apostamos nas terapias não farmacológicas, que ajudam a melhorar a qualidade de vida dos utentes”, disse a enfermeira Sílvia Peixoto, que salientou que “a missão é não só tentar estagnar a evolução da doença, como dar qualidade de vida aos utentes”.
Segundo Sílvia Peixoto, “os utentes reagem bem aos estímulos e a toda a envolvência do Jardim Terapêutico e Sensorial, o que nos deixa muito satisfeitas porque o nosso o objectivo é que tenham qualidade de vida”.

Deixa o teu comentário

Usamos cookies para melhorar a experiência de navegação no nosso website. Ao continuar está a aceitar a política de cookies.

Registe-se ou faça login Seta perfil

Com a sessão iniciada poderá fazer download do jornal e poderá escolher a frequência com que recebe a nossa newsletter.




A 1ª página é sua personalize-a Seta menu

Escolha as categorias que farão parte da sua página inicial.

Continuará a ver as manchetes com maior destaque.

Bem-vindo ao Correio do Minho
Permita anúncios no nosso website

Parece que está a utilizar um bloqueador de anúncios.
Utilizamos a publicidade para ajudar a financiar o nosso website.

Permitir anúncios na Antena Minho