Correio do Minho

Braga, segunda-feira

- +
Carnaval infantil de Famalicão passou mensagens sérias a brincar
Pavilhão de Nogueira aberto até final do mês

Carnaval infantil de Famalicão passou mensagens sérias a brincar

Este mês já há mais carreiras a circular no concelho da Póvoa de Lanhoso

Carnaval infantil de Famalicão passou mensagens sérias a brincar

Vale do Ave

2020-02-22 às 07h00

Teresa M. Costa Teresa M. Costa

Cor e animação invadiram ontem várias ruas da cidade de Famalicão que se encheram para ver passar o desfile infantil de Carnaval.

As crianças deram ontem a partida para o Carnaval no concelho de Famalicão com um desfile que “pintou” de cor e animação várias ruas da cidade mobilizando cerca de 3500 participantes.
Personagens das histórias de encantar, super-heróis, houve de tudo um pouco no desfile, mas foram várias as escolas e IPSS que responderam ao desafio lançado pelo Município de trazer à rua o tema da sustentabilidade ambiental.
“Muitas escolas tiveram essa preocupação e viu-se muita criatividade” reconheceu o vereador da Educação, Leonel Rocha, que assistiu ao desfile acompanhado pela vereadora da Acção Social, Sofia Fernandes.
“Mais que trabalhar as ideias importa, acima de tudo, trabalhar esta consciência ambiental” realçou Leonel Rocha que se congratulou com o recorde de participantes em comparação com anos anteriores.

A Escola Básica de Quintão, de Arnoso Santa Eulália, levou ao desfile o tema da água com crianças vestidas de gotas e algumas nuvens que não ofuscaram a participação, mas antes chamaram a atenção para a importãncia da água. Como eco-escola, o objectivo foi sensibilizar crianças e quem assiste ao desfile, explicou a coordenadora da escola, Gabriela Sequeira, descrevendo que os materiais usados para os fatos foram reutilizados num trabalho conjunto com os pais. Ainda pequeninas, com idades entre os 3 e os 5 anos, as crianças do Centro Social de Castelões, pólo de Pedome, também entraram na “onda do Vasco” sensibilizando para o combate à poluição das águas.

As canções e as histórias do “Vasco” do Oceanário de Lisboa, ajudaram a passar a mensagem, revelou a educadora Adelaide Andrade. Os alunos da Escola Básica Valedossos, de Fradelos, vestiram a farda de bombeiros chamando a atenção para a preservação da natureza. A comunidade educativa uniu-se para preparar o desfile e o tema foi trabalhado em contexto de sala de aula, explica a coordenadora, Judite Azevedo. As mais de duas centenas de crianças da Escola Básica de Louro, Mouqim e Lemenhe, voltaram à “idade da pedra” numa preparação que envolveu toda a comunidade educativa. Vestidas de Peter Pan e de fadas, as crianças do jardim de infânca do Centro Social da Paróquia de Landim mostraram que é preciso “sonhar para acreditar”, indo ao encontro do projecto educativo que está a ser trabalhado pela instituição, revelou a educadora Ana Borges.

Deixa o teu comentário

Usamos cookies para melhorar a experiência de navegação no nosso website. Ao continuar está a aceitar a política de cookies.

Registe-se ou faça login

Com a sessão iniciada poderá fazer download do jornal e poderá escolher a frequência com que recebe a nossa newsletter.




A 1ª página é sua personalize-a

Escolha as categorias que farão parte da sua página inicial.

Continuará a ver as manchetes com maior destaque.

Bem-vindo ao Correio do Minho
Permita anúncios no nosso website

Parece que está a utilizar um bloqueador de anúncios.
Utilizamos a publicidade para ajudar a financiar o nosso website.

Permitir anúncios na Antena Minho