Correio do Minho

Braga, quinta-feira

- +
Camélias e características das freguesias foram os temas destas marchas populares
“Um bom resultado é marcar e não sofrer”

Camélias e características das freguesias foram os temas destas marchas populares

Cafés serviram mais de 20 mil menus em roteiro gastronómico

Camélias e características das freguesias foram os temas destas marchas populares

Vale do Ave

2019-06-12 às 14h14

Redacção Redacção

“Hoje assistimos a um espetáculo soberbo onde ficou bem evidente o trabalho dos idosos, dos animadores e de todos os que integram este programa. Um trabalho difícil, muito exigente mas muito gratificante para quem o integra e para quem assiste. É um orgulho enorme fazer parte desta comunidade, uma comunidade que se envolve nas atividades promovidas, demonstrando a grande força deste concelho, um concelho vivo, dinâmico, cheio de vida” ressalvou o Vice – Presidente da Câmara Municipal de Celorico de Basto, Fernando Peixoto.

As Marchas Populares do Celorico a Mexer decorreram este sábado, 8 de junho, na Praça Albino Alves Pereira, e proporcionaram um espetáculo de cor, alegria e boa disposição a toda a população que se juntou a este evento. Uma festa que primou pela confraternização entre os diferentes grupos participantes.
“Hoje assistimos a um espetáculo soberbo onde ficou bem evidente o trabalho dos idosos, dos animadores e de todos os que integram este programa. Um trabalho difícil, muito exigente mas muito gratificante para quem o integra e para quem assiste. É um orgulho enorme fazer parte desta comunidade, uma comunidade que se envolve nas atividades promovidas, demonstrando a grande força deste concelho, um concelho vivo, dinâmico, cheio de vida” ressalvou o Vice – Presidente da Câmara Municipal de Celorico de Basto, Fernando Peixoto.
Durante aproximadamente 2 horas, 11 marchas, com todos os grupos que integram o programa Celorico a Mexer, marcharam na praça com músicas típicas das marchas populares e letras originais desenvolvidas pelos idosos nos locais de animação e que retrataram algumas evidências típicas das freguesias, como a desfolhada e os santos padroeiros, deram destaque às camélias, património natural deste concelho, e às características próprias das marchas como o majerico e as sardinhas. As coreografias também originais, foram ensaiadas nos locais de animação ao pormenor, e como era espectável, “correu tudo na perfeição”.
Helena Martinho, coordenadora dos Serviços Sociais e de Saúde o Município, agradeceu o empenho de todos numa atividade particularmente feliz para os idosos. “Estamos muito satisfeitos com o resultado apresentado hoje, estão todos maravilhosamente bonitos e felizes, que é o mais importante. Este é o retrato de um programa acolhedor, que existe para dar vida, para criar laços, para valorizar”.
Também Maria Inácia, idosa que integra o programa e a marcha de Borba da Montanha, mostrou a alegria de fazer parte desta iniciativa. “Aprendemos rapidamente a marcha e a fomos nós que criamos a letra da música. Vamos representar uma desfolhada que é típica da nossa aldeia e da nossa agricultura. E estamos muito bonitos e prontos para o espetáculo” frisou.
Durante estas Marchas populares, os técnicos deste programa usaram, na lapela, um laço roxo, alusivo ao dia 15 de Junho, Dia Internacional da Sensibilização sobre violência contra as pessoas idosas, e como forma de sensibilizar e prevenir para o combate à violência praticado contra as pessoas idosas, um compromisso que a todos se impõe.

Deixa o teu comentário

Usamos cookies para melhorar a experiência de navegação no nosso website. Ao continuar está a aceitar a política de cookies.

Registe-se ou faça login

Com a sessão iniciada poderá fazer download do jornal e poderá escolher a frequência com que recebe a nossa newsletter.




A 1ª página é sua personalize-a

Escolha as categorias que farão parte da sua página inicial.

Continuará a ver as manchetes com maior destaque.