Correio do Minho

Braga, segunda-feira

Câmara de Vila Verde questiona interdição na Praia do Faial
Famalicão lidera exportações na fileira automóvel no Norte

Câmara de Vila Verde questiona interdição na Praia do Faial

Lampreia já chegou à mesa de 15 restaurantes de Vila Nova de Cerveira

Cávado

2017-07-17 às 06h00

Redacção

A Câmara de Vila Verde está indignada com a manutenção da interdição a banhos da Praia Fluvial do Faial, na vila de Prado. O município estranha que a autoridade de Saúde de Braga tenha procedido à recolocação da bandeira verde na Praia Fluvial de Merlim, na margem contrária da Praia Fluvial do Faial, e do outro lado tenha mantido a bandeira vermelha.

A Câmara de Vila Verde está indignada com a manutenção da interdição a banhos da Praia Fluvial do Faial, na vila de Prado.
O município estranha que a autoridade de Saúde de Braga tenha procedido à recolocação da bandeira verde na Praia Fluvial de Merlim, na margem contrária da Praia Fluvial do Faial, e do outro lado tenha mantido a bandeira vermelha.

“Esta situação revela-se muito estranha uma vez que quem acede ao Rio pela Margem Esquerda, ou seja, no concelho de Braga encontra água própria para banhos, enquanto aqueles que decidirem ter acesso às mesmas águas pela margem direita, ou seja na praia fluvial do Faial no concelho de Vila Verde, encontram a bandeira vermelha”, refere a câmara municipal em comunicado, questionando as análises efectuadas à água do Rio Cávado.

“O município de Vila Verde para clarificar a situação em articulação com a autoridade de saúde procedeu à colheita de água em dois pontos do rio, no mesmo dia, hora e local sendo executadas pela mesma profissional da delegação de saúde. Estas amostras foram enviadas para análise nos laboratórios da Autoridade de Saúde e para uma Laboratório contratado pelo município de Vila Verde que é certificado e acreditado para aquele parâmetro. Os resultados revelaram-se contraditórios, ou seja, positivo no laboratório da Autoridade de Saúde e negativos no laboratório que realizou as análises para o município”.

Na nota enviada à redacção, questiona: “Como é possível que laboratórios diferentes apresentem resultados diferentes com amostras de água colhidas no mesmo dia, hora e local?”
Deixa ainda uma garantia: “O município de Vila Verde, apesar dos esforços já realizados, vai continuar a exigir uma fiscalização rigorosa aos possíveis focos de contaminação e articular com as entidades competentes medidas que possam devolver o mais breve possível”.

Deixa o teu comentário

Usamos cookies para melhorar a experiência de navegação no nosso website. Ao continuar está a aceitar a política de cookies.

Registe-se ou faça login

Com a sessão iniciada poderá fazer download do jornal e poderá escolher a frequência com que recebe a nossa newsletter.




A 1ª página é sua personalize-a

Escolha as categorias que farão parte da sua página inicial.

Continuará a ver as manchetes com maior destaque.