Correio do Minho

Braga, segunda-feira

- +
Bruno Silva e Marta Branco venceram o 22.º BTT XCO - ACRAP
CDU entrega candidatura a todas as freguesias

Bruno Silva e Marta Branco venceram o 22.º BTT XCO - ACRAP

Comandar os Bombeiros Sapadores foi “um desafio e realização pessoal”

Bruno Silva e Marta Branco venceram o 22.º BTT XCO - ACRAP

Desporto

2021-06-12 às 21h45

Redacção Redacção

Competição da Associação Cultural e Recreativa Amadora Proselense, que ocorreu nos Arcos de Valdevez, teve como vencedores os atletas Bruno Silva e Marta Branco.

Bruno Silva e Marta Branco, ambos da AXPO/FirstBike Team/Vila do Conde, venceram, em elites, o 22.º BTT XCO – ACRAP, terceira prova do Campeonato do Minho de BTT XCO - POPP Agency que se disputou em Prozelo, Arcos de Valdevez.

Num dia marcado pelo calor, o 22.º BTT XCO - ACRAP realizou-se seguindo todas condições de segurança e no cumprimento das orientações da Direcção-Geral da Saúde e das normas concertadas entre aquela entidade e a Federação Portuguesa de Ciclismo (FPC).

Na corrida de elites masculinos, o jovem Bruno Silva (AXPO/FirstBike Team/Vila do Conde), que está no seu primeiro ano da categoria, impôs-se numa corrida muito renhida com o seu colega de equipa Vítor Santos e Fábio Ribeiro (Clube BTT Matosinhos). O ciclista de Sobrado acabou por ser o mais rápido nas voltas finais e cortou a meta em primeiro lugar, deixando Vítor Santos em segundo e Fábio Ribeiro em terceiro.

Em elites femininas, Marta Branco (AXPO/FirstBike/Vila do Conde) dominou a corrida, superiorizando-se à sua colega de equipa Leandra Gomes, enquanto Tânia Cardoso (MonçãoBike/LusoPrint/Bombos S. Sebastião Bombos S. Sebastião) terminou em terceiro lugar. José Simões (Lobos Averomar BTT), em Sub-23, foi o primeiro a cortar a meta, deixando Rui Rêgo (MonçãoBike/LusoPrint/Bombos S. Sebastião Bombos S. Sebastião) na segunda posição e José Ribeiro (Joane BTT/Trilhos Bike) na terceira.

João Cruz e Catarina Lopes, ambos da AXPO/FirstBike/Vila do Conde, venceram em juniores, Lucas Ferreira (Sabor do Norte/Bilabiker´s RacingTeam) e Francisca Moreira (Clube BTT Matosinhos) em cadetes e Cecília Araújo (Figueiras BTT) e Rogério Midão (Trilhos/APJCAR) em master 30. Na categoria de master 40, triunfou Marco Macedo (Saertex Portugal - Edaetech), enquanto António Sousa foi o melhor em master 50 e Domingos Rufo (Saertex Portugal - Edaetech) em master 60. Por equipas venceu a AXPO/FirstBike Team/Vila do Conde, seguindo-se na classificação o Rompe Trilhos/Ajpcar e o BTT Matosinhos terceiro.

O 22.º BTT XCO ACRAP marcou ainda o regresso à competição, no Minho, das Escolas de BTT. A equipa Sabor do Norte/Escola de Ciclismo Bilabiker´s foi a vencedora colectiva, enquanto a Seissa/KTMBikeseven/Matias&Araújo/Frulact ficou em segundo e o Clube de BTT Matosinhos em terceiro. Individualmente, Lucas Angélico (Sabor do Norte/Escola Ciclismo Bilabiker´s) e Margarida Vasconcelos (Maiatos) evidenciaram-se em juvenis, Diogo Maia (AXPO/FirstBike Team/Vila do Conde) e Lara Azevedo (Clube BTT Matosinhos) em infantis, Tiago Nogueira (Domarsa/Santa Cruz/Bicicastro) e Matilde Correia (Sabor do Norte/Escola Ciclismo BilaBiker’s) em iniciados e Tomás Vigário e Maria Nogueira, ambos da Dimarsa/Santa Cruz/Bicicastro, em Pupilos/Benjamins).

Martinho Pedreira, presidente da Junta de Freguesia de Prozelo, acompanhou o BTT XCO da ACRAP e mostrou-se satisfeito com o regresso das provas à freguesia. “Receber estes eventos é sempre positivo. As pessoas estiveram impedidas de sair durante muito tempo devido à Covid-19 e, por isso, estavam ávidas de fazer o que gostam. Estes são desportos de ar livre mas, mesmo assim, seguiram-se todos os protocolos sanitários. É de salutar o regresso das competições e do BTT XCO da ACRAP”, afirmou o autarca.

Considerando que “este é um sinal de esperança” e que “estas provas são sempre bem-vindas”, Martinho Pedreira salientou que “nós apoiamos as actividades que a Associação Cultural e Recreativa Amadora Proselense (ACRAP) desenvolve. Nós estamos sempre disponíveis para apoiar”, mesmo quando, como este ano, as coisas são mais difíceis: “hoje em dia as provas são mais difíceis de organizar porque exigem mais cuidados, mais segurança”.

Ricardo Brito, da Associação Cultural e Recreativa Amadora Proselense (ACRAP), fez um balanço “extremamente positivo” da prova, garantindo que “valeu a pena todo o trabalho e empenho”. “Algumas pessoas pensam que tudo isto é fácil de gerir. Não é fácil. Organizar uma prova já é difícil, com esta questão da Covid complica ainda mais. É uma situação complicada e difícil para todos, organizadores, clubes, atletas. As dinâmicas foram quebradas e agora, com o tempo, encontraremos o caminho certo”, salientou o dirigente desportivo.

Bruno Silva, vencedor da corrida de elites, explicou que fez “uma boa preparação desde a última prova da Taça de Portugal” e que conseguiu vencer “num circuito duro e ainda por cima debaixo de temperaturas elevadas, o que me deixa mais confiante para o que aí vem”. Tem como objectivos "lutar pelo melhor resultado possível no Campeonato Nacional, que se disputa daqui a três semanas. É o meu primeiro ano de Elites, vou tentar fazer o melhor possível”.

Marco Macedo (Saertex Portugal - Edaetech), primeiro classificado em master 40, destacou o calor e a importância de saber gerir o desempenho desportivo num circuito duro: “Foi uma vitória muito boa. Está muito calor, mas eu dou-me bem com isso. A pista é muito dura, com muitas subidas duras e técnicas. É uma pista muito ´abafada´ e é preciso saber gerir um quando se corre com estas temperaturas”.

“É sempre bom quando corre bem e ganhamos, mas isso é o que menos interessa. O que mais interessa é o regresso das competições, trazer os nossos miúdos às provas, às competições e encontros. Isto é que são excelentes notícias e esperamos que seja para continuar”, disse Filipe Silva, responsável da equipa Sabor do Norte/Escola Ciclismo Bilabiker´s. Relativamente à reacção das crianças no regresso às competições, Filipe Silva refere que “Nós, Escolas de Ciclismo, temos tido um trabalho muito difícil. Tentar motivar os miúdos, fazer de tudo para que eles não se percam, tem sido um trabalho muito duro nestes meses. Mas conseguimos manter os miúdos quase todos, conseguimos trazê-los e motivá-los e agora é ver a alegria deles em marcar presença nestes encontros tão importantes”, explica o responsável da equipa Sabor do Norte/Escola Ciclismo Bilabiker´s que “este recomeço é um bocadinho mais difícil para eles, mas com o tempo e com as competições voltam ao normal”.

Filipe Silva salientou “o grande trabalho da Associação de Ciclismo do Minho. É um exemplo nacional das Associações porque consegue, logo que é possível, organizar encontros e provas, o que agrada aos clubes e faz falta aos atletas”.

O 22º BTT XCO - ACRAP teve o apoio da Câmara Municipal de Arcos de Valdevez, Junta de Freguesia de Prozelo, IPDJ, Federação Portuguesa de Ciclismo, POPP Agency, Arrecadações da Quintã, Cision, Raiz Carisma - Soluções de Publicidade, Navega Rías Baixas, Bike - Tudo sobre o mundo do BTT e Cuidar Mais - Clínica Médica e Fisioterapia.

Deixa o teu comentário

Usamos cookies para melhorar a experiência de navegação no nosso website. Ao continuar está a aceitar a política de cookies.

Registe-se ou faça login

Com a sessão iniciada poderá fazer download do jornal e poderá escolher a frequência com que recebe a nossa newsletter.




A 1ª página é sua personalize-a

Escolha as categorias que farão parte da sua página inicial.

Continuará a ver as manchetes com maior destaque.

Bem-vindo ao Correio do Minho
Permita anúncios no nosso website

Parece que está a utilizar um bloqueador de anúncios.
Utilizamos a publicidade para ajudar a financiar o nosso website.

Permitir anúncios na Antena Minho