Correio do Minho

Braga, terça-feira

Braga notada pelas boas práticas no Congresso de Cidades Educadoras
Oficinas de Criatividade homenageiam cientista nascido em Arcos de Valdevez

Braga notada pelas boas práticas no Congresso de Cidades Educadoras

Extraordinário concerto encerra Bienal Internacional de Flauta Transversal na Igreja do Mosteiro de S. Miguel de Refojos

Braga

2018-11-20 às 09h00

Redacção

Boas práticas como o ‘Executivo Júnior’, ‘Transcrever’, ‘(Com) Viver o Bairro’, ‘Tu Decides’, ‘Desporto, Saúde e Braga’, ‘Quem tem Medo’ e ‘+ Cidadania’ fizeram de Braga uma das cidades mais enaltecida no congresso que decorreu no Estoril.

Braga impressionou pelo seu dinamismo, sendo um dos municípios que mais experiências viu apresentadas e debatidas nas sessões de trabalho no XV Congresso Internacional das Cidades Educadoras. Boas práticas como o ‘Executivo Júnior’, ‘Transcrever’, ‘(Com) Viver o Bairro’, ‘Tu Decides’, ‘Desporto, Saúde e Braga’, ‘Quem tem Medo’ e ‘+ Cidadania’ fizeram de Braga uma das cidades mais enaltecida no congresso que decorreu no centro de Congressos do Estoril.
Esta foi a primeira vez que o evento se realizou numa cidade portuguesa. O Município de Braga esteve presente durante quatro dias naquele que foi o palco privilegiado de debate sobre a educação, ambiente, cidadania participativa e espaço público entre cidadãos de 118 cidades, de 24 países diferentes.

Com a presença de Mónica Fein, de Intendenta do Rosário, cidade Argentina que organizou a edição anterior do Congresso, de Catarina Marques Vieira, Comissária para a Capital Europeia da Juventude, e de Carlos Carreiras, presidente da Câmara Municipal de Cascais, os momentos altos foram as mesas temáticas onde Braga se fez representar para debater a convivência e o sentimento de pertença.
A tarefa de finalizar o congresso coube aos jovens, marco especial no ano em que Cascais é também Capital Europeia da Juventude. Foram apresentadas as conclusões dos trabalhos e debates paralelos do Congresso Jovem que decorreu a par do XV Congresso Internacional de Cidades Educadoras e onde Braga se fez representar por dois jovens do Conselho Municipal de Juventude.

Foram quatro dias marcados or um profundo debate, reflexão e partilha daquilo que são os princípios e os valores da declaração das Cidades Educadoras e que se prendem com a educação, a coesão social e a cidadania participativa. Temas disseminados pela rede com o escopo de criar uma “onda educadora” cada vez maior.
Lídia Dias, vereadora da Educação, salienta a “brilhante e proveitosa” participação do município no congresso, assumindo, como prioridade, o desenvolvimento de políticas trans- versais dirigidas à qualidade de vida das pessoas.
“Um dos desafios da Carta das Cidades Educadoras respeita à procura de harmonia entre identidade e diversidade culturais protegendo o direito de todos aqueles que habitam a cidade e os contributos das comunidades que a integram. É com base nesta máxima que a nossa intervenção local vai de encontro à cidadania democrática, na partilha e equidade social alicerçadas em valores éticos e cívicos, enobrecendo a construção colectiva de um sentimento de pertença à cidade que se constrói com as pessoas”, refere.

Deixa o teu comentário

Usamos cookies para melhorar a experiência de navegação no nosso website. Ao continuar está a aceitar a política de cookies.

Registe-se ou faça login

Com a sessão iniciada poderá fazer download do jornal e poderá escolher a frequência com que recebe a nossa newsletter.




A 1ª página é sua personalize-a

Escolha as categorias que farão parte da sua página inicial.

Continuará a ver as manchetes com maior destaque.