Correio do Minho

Braga, terça-feira

Braga: Assassinado por jovem a quem tratava como um filho
Bolo Folhado continua a ser a imagem de marca da Pastelaria de S. João

Braga: Assassinado por jovem a quem tratava como um filho

Hospital de Braga espera pico da gripe na próxima semana

Casos do Dia

2012-10-28 às 06h00

Luís Fernandes

Gaspar Roby, de 69 anos, ligado à Casa de Infias e ao PPM, morreu sexta-feira à noite, após ter sido esfaqueado por um jovem a quem tratava como um filho. O agressor está preso.

Gaspar Roby entrara em paragem cardíaca quando, por volta das 20,15 horas, os Sapadores Bombeiros chegaram à Rua Adelino Arantes, em S. Vicente, para o socorrer depois de ter sido esfaqueado na sequência de uma discussão com o seu afilhado Pedro, de 20 anos de idade, no apartamento do monárquico.
Transportado ao Hospital de Braga, acabou por falecer pouco depois de ter sido levado para o bloco operatório.

A PSP foi chamada ao local, detendo o presumível agressor. Confirmada a morte de Gaspar Roby, com o consequente depósito do cadáver na morgue do Hospital de Braga para ser autopsiado, a investigação do caso está nas mãos da Polícia Judiciária.

Conduzido por inspectores da Polícia Judiciária ao Tribunal Judicial de Vila Verde, o suspeito foi submetido a um primeiro interrogatório perante o juiz de turno de instrução criminal durante a tarde e ontem.
No final, como medida de coacção, o juiz determinou que o jovem Pedro ficasse a aguardar o seu julgamento em prisão preventiva pela autoria de um crime de homicídio.

O que levou ao crime não se sabe. Nascido no seio de uma família problemática, Pedro foi acolhido por Gaspar quando ele tinha três anos de idade, em regime de tutela legal. Ao longo dos anos, o afilhado era tratado por Gaspar Roby como se fosse seu filho.

António Machado chocado

António Machado, presidente da Direcção dos Bombeiros Voluntários de Braga e da Junta de Freguesia de Fraião, corregionário político de Gaspar no Partido Popular Monárquico, disse-nos estar “triste e chocado” com a notícia. Como militante do PPM, Gaspar Roby lutou pela democracia antes e depois do 25 de Abril.

Deixa o teu comentário

Usamos cookies para melhorar a experiência de navegação no nosso website. Ao continuar está a aceitar a política de cookies.

Registe-se ou faça login

Com a sessão iniciada poderá fazer download do jornal e poderá escolher a frequência com que recebe a nossa newsletter.




A 1ª página é sua personalize-a

Escolha as categorias que farão parte da sua página inicial.

Continuará a ver as manchetes com maior destaque.