Correio do Minho

Braga,

- +
Bombeiros Voluntários podem ficar com o quartel dos Sapadores
Milhares assistiram ao cortejo histórico

Bombeiros Voluntários podem ficar com o quartel dos Sapadores

Mostra convida a uma viagem até às origens do território

Bombeiros Voluntários podem ficar com o quartel dos Sapadores

Braga

2019-03-21 às 06h00

José Paulo Silva José Paulo Silva

Direcção dos Bombeiros Voluntários de Braga estuda alternativas ao actual quartel. Desocupado desde 2006, o ex-quartel dos Bombeiros Sapadores pode ser uma solução.

A direcção dos Bombeiros Voluntários de Braga está a equacionar a possibilidade de permutar com a Câmara Municipal o seu edifício sede com o desactivado quartel dos Bombeiros Sapadores. A hipótese vai ser apresentada à consideração dos associados da associação humanitária, no próximo sábado, em assembleia geral, a par do cenário de venda do edifício do Largo Paulo Orósio a um particular, em troca da construção de um novo quartel em terrenos que a corporação dispõe na freguesia de S.Paio d'Arcos.
O presidente dos Bombeiros Voluntários, António Ferreira, explicou ao Correio do Minho que o primeiro cenário está dependente do acordo da comissão directiva do Programa Operacional Sustentabilidade e Eficiência no Uso de Recursos (POSEUR) para a transferência do financiamento de 600 mil euros aprovados para a requalificação das instalações do quartel do Largo Paulo Orósio para a mesma utilização no quartel dos Sapadores, desactivado desde 2016, Da parte da Câmara Municipal, a direcção dos Bombeiros Voluntários já obteve abertura para a permuta dos quartéis.
Ao mesmo tempo, a direcção dos Bombeiros Voluntários tem em mãos uma proposta de compra do seu edifício sede por parte de um particular, dependendo a alienação do compromisso do investidor em construir um novo quartel nos terrenos de S.Paio d'Arcos doados em tempos pela Câmara Municipal de Braga com esse fim. Esta operação está dependente da viabilidade construtiva e das condicionantes de utilização que a Câmara Municipal venha a atribuir ao edifício que alberga, em condições deficientes, o corpo activo, parque de viaturas e serviços administrativos dos Bombeiros Voluntários.
Mesmo com financiamento aprovado pelo POSEUR, António Ferreira assume que a realização de obras no actual quartel é o cenário que menos lhe agrade, atendendo à exiguidade de espaço para albergar as viaturas e o corpo activo da corporação. “Será uma solução de recurso”, afirma.
Seja para a permuta, seja para a venda do edifício sede, a direcção da Associação Humanitária e Beneficiente dos Bombeiros Voluntários de Braga necessita de autorização dos sócios, pelo que foi convocada uma assembleia geral extraordinária para este sábado, às 11h00, com esse efeito. Esta assembleia realiza-se a seguir a outra, de carácter ordinário, agendada para as 9h30, destinada a discutir e votar o relatório e contas da gerência do ano de 2018, destacando António Ferreira o equilíbrio orçamental que foi possível alcançar mais uma vez, ultrapassada a situação delicada que a associação vivia em 2014, altura em que foi iniciado um processo de regularização de dívidas.
“Hoje somos uma instituição respeitada”, assegura o presidente da direcção, apostado em lançar uma nova campanha de angariação de associados, considerando muito abaixo o actual número de cerca de 2 300 cidadãos que contribuem com um quota anual de 12 euros.

Deixa o teu comentário

Usamos cookies para melhorar a experiência de navegação no nosso website. Ao continuar está a aceitar a política de cookies.

Registe-se ou faça login

Com a sessão iniciada poderá fazer download do jornal e poderá escolher a frequência com que recebe a nossa newsletter.




A 1ª página é sua personalize-a

Escolha as categorias que farão parte da sua página inicial.

Continuará a ver as manchetes com maior destaque.