Correio do Minho

Braga, quinta-feira

- +
Boas práticas garantem novo reconhecimento
Valença Vai Avançar Com Intervenções Na Floresta

Boas práticas garantem novo reconhecimento

Ponte da Barca, Juntas de Freguesia e Resulima juntas na promoção da sustentabilidade ambiental

Boas práticas garantem novo reconhecimento

Vale do Ave

2023-03-29 às 06h00

Redacção Redacção

Selo de mérito atribuído com o projecto ‘Cuidar Maior’, do Centro Social e Paroquial de Requião.

Citação

O município Famalicão, através do projecto Cuidar Maior, viu novamente reconhecidas as boas práticas e medidas de apoio aos cuidadores informais.
A autarquia famalicense está entre as 42 autarquias portuguesas distinguidas com o Selo de Mérito na 2.ª edição da Rede de Autarquias que Cuidam dos Cuidadores Informais (RACCI), projeto promovido pelo ‘Movimento Cuidar dos Cuidadores Informais’ com o apoio institucional da Merck para distinguir, divulgar e amplificar as melhores práticas nesta área levadas a cabo por municípios e freguesias do território nacional.
A bandeira e o selo de mérito correspondentes a esta nova distinção foram entregues ontem, ao presidente da autarquia, Mário Passos, e à vereadora da Saúde, Sofia Fernandes, pelas mãos das responsáveis técnicas do projeto ‘Cuidar Maior’, criado em 2020 pelo Centro Social e Paroquial de Requião para ser o apoio de todos os cuidadores informais do concelho famalicense ao nível da saúde, formação, entre outras áreas.
Satisfeito com o reconhecimento, Mário Passos enalteceu a importância deste projeto social do concelho que já orienta, apoia e capacita 327 cuidadores informais e que na última reunião do executivo municipal viu aprovado um apoio financeiro de 26 mil euros.
“O trabalho do Cuidar Maior é de uma importância enorme porque influencia positivamente a qualidade de vida de quem cuida, mas também da pessoa cuidada”, referiu o autarca.
Refira-se ainda que de acordo com um inquérito levado a cabo pelo Movimento Cuidar dos Cuidadores Informais, as principais necessidades apontadas pelos cuidadores informais vão desde a falta de apoio emocional/psicológico, apoios relacionados com Estado, apoios financeiros, até à necessidade de receber formação específica.

Deixa o teu comentário

Banner publicidade

Usamos cookies para melhorar a experiência de navegação no nosso website. Ao continuar está a aceitar a política de cookies.

Registe-se ou faça login Seta perfil

Com a sessão iniciada poderá fazer download do jornal e poderá escolher a frequência com que recebe a nossa newsletter.




A 1ª página é sua personalize-a Seta menu

Escolha as categorias que farão parte da sua página inicial.

Continuará a ver as manchetes com maior destaque.

Bem-vindo ao Correio do Minho
Permita anúncios no nosso website

Parece que está a utilizar um bloqueador de anúncios.
Utilizamos a publicidade para ajudar a financiar o nosso website.

Permitir anúncios na Antena Minho