Correio do Minho

Braga, terça-feira

Bispo destaca papel dos TUB na humanização do concelho
Génio de Marquinho na vitória frente ao Vieira

Bispo destaca papel dos TUB na humanização do concelho

Dezanove centros de convívio apoiam idosos de Vieira do Minho

Braga

2018-05-17 às 07h00

José Paulo Silva

Francisco Senra Coelho foi o de ontem do convidado do Pequeno almoço com... dos Transportes Urbanos de Braga. O bispo auxiliar elogiou o serviço público prestado pela empresa municipal.

A vossa casa tem rodas, é como uma embaixada de Braga, afirmou ontem o bispo auxiliar de Braga, Francisco Senra Coelho, convidado de mais um Pequeno almoço com... nos Transportes Urbanos de Braga (TUB), considerando que a empresa deve desempenhar um papel importante na humanização de Braga.
Convidado a abordar o tema Famílias do século XXI, o prelado destacou o papel da transportadora municipal enquanto serviço público que deve ser cada vez mais generalizado e de modo algum limitado.
O bispo auxiliar de Braga relevou o papel de grande promoção humana que os TUB desempenham, nomeadamente nas zonas rurais do concelho e sobretudo junto da população mais idosa, a qual tem no transporte público um importante meio de mobilidade e até de socialização.
Fazei um serviço público que redunde a favor das famílias, apelou o prelado à administração e aos funcionários dos TUB no encontro que assinalou o Dia Internacional da Família e que integrou o plano de formação da empresa municipal.
Sobre o tema que o levou a tomar o pequeno almoço nos TUB, Francisco Senra Coelho começou pela interrogação: a família está em mudança ou numa crise profunda de destruição? para concluir que a possibilidade de as novas gerações constituirem família passa pela estabilidade económica e pelo emprego. Quem se atreve a constituir família com recibo verde e ter filhos sem estabilidade laboral ?, questionou
Preocupado com o envelhecimento e a desertificação humana acentuados no interior do país, e mesmo em vários concelhos do distrito de Braga, o bispo avisou que não basta uma atitude assistencial para contrariar esse fenómeno. Senra Coelho entende que, a nível local, tem-se feito tudo para evitar o abandono do interior, só que este problema não pode ser enfrentado apenas com o dinamismo autárquico, mas com a intervenção do poder central.

Deixa o teu comentário

Usamos cookies para melhorar a experiência de navegação no nosso website. Ao continuar está a aceitar a política de cookies.

Registe-se ou faça login

Com a sessão iniciada poderá fazer download do jornal e poderá escolher a frequência com que recebe a nossa newsletter.




A 1ª página é sua personalize-a

Escolha as categorias que farão parte da sua página inicial.

Continuará a ver as manchetes com maior destaque.