Correio do Minho

Braga,

- +
Barcelos reabilita edifício para criar Museu do Design
Protecção Civil de Braga ‘pronta’ para combate

Barcelos reabilita edifício para criar Museu do Design

Esporões erige nicho à Senhora de Fátima

Barcelos reabilita edifício para criar Museu do Design

Cávado

2021-04-14 às 06h00

Marta Amaral Caldeira Marta Amaral Caldeira

O Município de Barcelos acaba de aprovar a recuperação da Casa Conde Vilas Boas, orçada em 2,7 milhões de euros, para albergar o museu.

Barcelos quer instalar na cidade o Museu do Design Português com o acervo do coleccionador Paulo Parra. É com esse mesmo objectivo futuro que a Câmara Municipal de Barcelos aprovou a adjudicação, por 2,7 milhões de euros, da recuperação e remodelação da Casa Conde Vilas Boas, onde o museu vai será criado.
O prazo de execução da obra é de 18 meses, sendo o investimento comparticipado em mais de 2,2 milhões por fundos europeus, refere o município barcelense em nota à imprensa.
A Casa Conde Vilas Boas é um edifício histórico setecentista, em pleno Largo do Município, que se encontra degradado, sendo objectivo do Município de Barcelos fazer uma intervenção com “reabilitação integral”, para criar uma estrutura vocacionada para a memória da cidade e para a realização de eventos que possam atrair dinâmicas de outras instituições.
Vai acolher o Museu do Design Português, que contará com o acervo do coleccionador Paulo Parra, composto por cerca de 500 peças, que representam as maiores empresas industriais e designers do país nas áreas da cerâmica, vidro, madeira, metal, plásticos e papel.
O protocolo para cedência, por 11 anos, daquele acervo, foi assinado em novembro de 2018. O valor das prestações anuais a pagar pelo município a Paulo Parra é de 15 mil euros nos primeiros dois anos e de 35 mil nos seguintes. Ao fim dos 11 anos, o protocolo pode ser renovado.A Câmara terá direito de opção caso Paulo Parra decida vender a colecção. Terá ainda de editar um livro bilingue sobre a coleção.
A ‘Colecção Paulo Parra’ é constituída, nomeadamente, por “produtos de referência” de empresas como a Vista Alegre, Electrocerâmica, Porcelanas de Coimbra, Bordalo Pinheiro, Oliva, Hipólito e TAP, entre outras. “Trata-se de um património artístico único na história do design, inovação e tecnologia portuguesas”.

Deixa o teu comentário

Usamos cookies para melhorar a experiência de navegação no nosso website. Ao continuar está a aceitar a política de cookies.

Registe-se ou faça login

Com a sessão iniciada poderá fazer download do jornal e poderá escolher a frequência com que recebe a nossa newsletter.




A 1ª página é sua personalize-a

Escolha as categorias que farão parte da sua página inicial.

Continuará a ver as manchetes com maior destaque.

Bem-vindo ao Correio do Minho
Permita anúncios no nosso website

Parece que está a utilizar um bloqueador de anúncios.
Utilizamos a publicidade para ajudar a financiar o nosso website.

Permitir anúncios na Antena Minho