Correio do Minho

Braga, quarta-feira

AVC Famalicão vence Tenerife e vai em vantagem à segunda mão
Eurodeputado espera conseguir acordo para mecanismo de protecção civil

AVC Famalicão vence Tenerife e vai em vantagem à segunda mão

Partido Socialista lamenta afastamento da Estratégia Cultural 2030

Desporto

2018-11-09 às 06h00

Rui Serapicos

Primeiro triunfo europeu por três sets sem resposta dá às famalicenses um fôlego que permite sonhar com uma estreia na superação da ronda preliminar da Taça Challenge de voleibol

O AVC Famalicão venceu ontem, no Pavilhão das Lameiras, o Haris Tenerife (por 3-0), em jogo a contar para a primeira mão da ronda preliminar da Taça Challenge de voleibol feminino.
É a primeira vez que o clube de Famalicão ganha um jogo em partidas para as competições europeias.
As minhotas, com uma entrada assertiva no jogo, adiantaram-se na contagem, mas no primeiro set a equipa canária ainda foi reagindo, mantendo a discussão no marcador, com um empate a 5-5. Nesta fase, Karis Watson, a norte-americana do AVC, num esforço para ganhar mais um ponto, cai mal e lesiona-se num joelho - ao que tudo indica com entorse.

As famalicenses deram boa resposta à contrariedade e foram incrementando a contagem, com um avanço de 22-17 que já dava uma perspectiva de vantagem no primeiro set, que iria terminar com 25-21.
A turma minhota, embora com falhas nos serviços, permitiu algum crescendo às espanholas, que chegara ao 18-18. Mas veio a evidenciar clara superioridade atacante nas bolas disputadas junto à rede e nas acções defensivas e venceu o segundo set por margem idêntica, 25-21
No terceiro set, com ascendente evidente, as minhotas geriram o avanço e garantiram o 3-0.

Rui Moreira - Treinador do AVC Famalicão
“Este jogo tinha uma carga anímica muito grande, porque este clube nunca tinha, sequer vencido um jogo para as competições europeias. Havia esse ónus, não sobre nós nem das atletas, mas da competição em si. Conseguimos passar momentos menos bons, incluindo a lesão de uma atleta. Isto é uma eliminatória a duas mãos. Temos a desvantagem de jogar em casa primeiro. Se não conseguirmos um resultado melhor do que o adversário, teremos de jogar mais um set em casa do adversário”.

David Martin - Treinador do CV Haris Tenerife
“Não jogámos bem. Tivemos problemas na recepção. O Famalicão foi melhor, foi um justo vencedor. Não soubemos aproveitar a oportunidade do segundo set, que começamos fortes.
Custou-nos a organizar o bloco e a defesa. Creio que essa é uma das chaves que precisamos de melhorar para dar a volta à eliminatória. A eliminatória está aberta, mas temos de melhorar o resultado”.

Deixa o teu comentário

Usamos cookies para melhorar a experiência de navegação no nosso website. Ao continuar está a aceitar a política de cookies.

Registe-se ou faça login

Com a sessão iniciada poderá fazer download do jornal e poderá escolher a frequência com que recebe a nossa newsletter.




A 1ª página é sua personalize-a

Escolha as categorias que farão parte da sua página inicial.

Continuará a ver as manchetes com maior destaque.